Artista brasileiro da DC Comics é demitido após comentário sobre estupro

Por Redação | 29 de Maio de 2016 às 18h21

A Chiaroscuro Studios rompeu contrato com o artista brasileiro Allan Goldman, que já trabalhou para a DC Comics, devido a comentários feitos pelo ilustrador sobre o estupro coletivo da jovem carioca que repercutiu na última semana.

Por meio de sua página no Facebook, a co-realizadora da Comic Con Experience (CCXP) e uma das maiores agências de quadrinistas do mundo, anunciou que decidiu "encerrar o relacionamento com artistas não alinhados com valores" que a empresa considera "absolutamente inegociáveis".

Chiaroscuro

Na última sexta-feira (27), Goldman publicou um texto em seu perfil da rede social questionando a repercussão do caso de estupro coletivo. Apesar de não mencionar o nome do artista em seu comunicado, a agência deixou claro que não tolera a "apologia e banalização da violência e da discriminação".

Procurado pela equipe do jornal O Globo, Goldman alegou ser vítima de censura. Ele diz ainda que é tratado como alvo por expressar apoio ao deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e por ter um posicionamento de direita.

Allan Goldman

A Chiaroscuro representava o artista no mercado editorial norte-americano, mas de acordo com Goldman, a agência representava "uma parte menor" de seus trabalhos no exterior. Para a DC Comics, Goldman trabalhou como freelancer nas HQs Superman, Action Comics, Teen Titans, Countdown e Future's End. Ele também é cocriador da HQ Nox, da Space Goat Productions.

Confira na íntegra a nota emitida por Goldman:

"Estou sendo vítima de censura. Se você ler meu post, verá que não faço apologia à violência muito menos ao estupro. Aliás, o estupro nem era o objeto do meu questionamento. Eu fiz uma crítica à ideologia de gênero. Levantei uma questão sobre a relativização moral e judicial que poderiam advir da ideologia de gênero.

Insinuar que eu fiz apologia à violência ou ao estupro é de uma má-fé tremenda. O que acontece é que estou sendo vitimado por uma gangue de "Social Justice Warriors" que não sabem lidar com a opinião alheia, agridem seus opositores da maneira mais baixa e vil possível. No fim o fato de eu ter sido alvo dessa gangue é por causa do meu posicionamento de direita, contra a ideologia de gênero, o socialismo e por eu defender abertamente o candidato à presidência Jair Bolsonaro, que os esquerdistas tanto odeiam.

Aos montes de militantes de esquerda que não sabem o significado de democracia e tentaram me prejudicar fazendo lobby para que eu fosse demitido, digo que fiquem tranquilos pois a Chiaroscuro representava apenas uma parte menor dos meus trabalhos e eu continuarei conseguindo me sustentar sem a ajuda do Deus Estado que eles tanto amam."

Fonte: O Globo, Chiaroscuro Studios, Allan Goldman (Facebook)

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.