Mozilla testa sistema de notícias sem anúncios por US$ 5

Por Felipe Demartini | 08 de Julho de 2019 às 10h58
Tudo sobre

Mozilla

Saiba tudo sobre Mozilla

Ver mais

A Mozilla está testando um novo modelo de monetização para o Firefox, com um sistema de acesso a notícias sem exibição de anúncios por US$ 5 ao mês, cerca de R$ 20. É o que a companhia chamou de produto “alternativo” de financiamento, iniciado em parceria com 12 veículos de mídia que já não tinham paywall como parte de seus modelos e, agora, trazem mais essa regalia para os usuários pagantes.

Fazem parte da empreitada grandes nomes da imprensa norte-americana como Gizmodo, BuzzFeed, USA Today, Vox e Atlantic. Quando acessados por meio do Firefox e por usuários pagantes, os anúncios exibidos nas páginas deixam de aparecer, o que inclui também propagandas em vídeo e áudio, dando acesso direto a reportagens, matérias, podcasts e demais conteúdos dos veículos.

Também faz parte da empreitada a Scroll, uma startup voltada justamente para assinaturas de sites noticiosos e informativos. Os detalhes do projeto ainda são escassos, principalmente no que toca a divisão da monetização entre todos os parceiros envolvidos, mas, de acordo com a Mozilla, os testes estão acontecendo com grupos selecionados de usuários dos Estados Unidos, ainda sem previsão de abertura para mais mercados, quanto mais lançamento.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Falando sobre o tema, o diretor de produto da organização, Peter Dolanjski, categorizou a iniciativa como o início de um ecossistema equilibrado para usuários, que não contam mais com as propagandas incomodando a navegação e a leitura, e publicadores. Estes passam a ter uma receita alternativa por sua produção, sem o pé de guerra gerado pelas propagandas, a instalação de bloqueadores pelos visitantes e a batalha para conseguir assinantes próprios. Ao se unirem, acredita a Mozilla, todos acabam gerando mais valor para seus produtos.

Os usuários que não foram convidados podem responder a uma enquete, demonstrando seu interesse pelo sistema para, quem sabe, receber um convite ao longo da duração do período de testes, que não tem data certa para acabar. Além disso, a Mozilla também fala em pacotes maiores que unam o sistema de assinatura de notícias com outras soluções voltadas para segurança, que também estariam em desenvolvimento, como é o caso de uma rede privada virtual e um sistema que garante o anonimato na navegação.

Seria esse último quesito, inclusive, que teria levado a Mozilla a trabalhar com publicadores. A organização já foi duramente criticada pelas empresas de mídia por incluir sistemas de segurança que impedem o rastreamento para fins de publicidade, uma ferramenta importante para que anúncios possam ser servidos de forma mais direcionada, aumentando a receita para os distribuidores de conteúdo. É justamente por isso que a empresa agora fala em modelos equilibrados, que levem em conta o interesse dos usuários em contribuir, mesmo que não com seus dados.

Para Dolanjski, a solução de assinatura vem também para resolver os problemas com fraudes de anúncios e o uso de bots para geração de cliques, bem como mudar o balanço do mercado em si, no qual grandes publicadores recebem uma fatia maior do bolo. Essa, segundo ele, é apenas a primeira iniciativa de um segundo semestre que deve incluir novas experimentações desse tipo, voltadas para modelos alternativos de monetização e a solução de problemas da web.

Fonte: Mozilla Blog

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.