Facebook e Uber pedem desculpas com propagandas nas ruas por seus escândalos

Por Jessica Pinheiro | 12 de Julho de 2018 às 14h03
Tudo sobre

Facebook

Todos cometem erros, afinal, os seres humanos são imperfeitos. Contudo, nem sempre um pedido de desculpas resolve algum caso. E o Facebook e a Uber parecem estar encarando esse cenário de frente. O motivo é porque nos últimos meses as duas companhias lançaram campanhas publicitárias com o intuito de se desculparem pelos escândalos que causaram.

Com o Facebook, foram as polêmicas envolvendo a pouca ou nenhuma proteção dos dados de usuários da rede. Essas informações tinham sido coletadas e utilizadas pela primeira vez (pelo que se sabe) por operários russos para segmentar e indicar anúncios específicos antes das eleições de 2016, e depois caíram nas mãos da Cambridge Analytica para tentar influenciar os eleitores.

Já os incidentes do Uber foram diversos, incluindo acusações de assédio, casos de espionagem, relatos de violência, dentre outros. O mais recente foi quando uma mulher foi atropelada e veio a falecer por conta disso, vítima de um carro autônomo da empresa que estava em fase de testes nas ruas do Arizona.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Por conta de todos esses escândalos, o Facebook lançou a campanha de desculpas intitulada de “Here Together” (“Aqui, Juntos”, em tradução livre) em abril e a Uber, por sua vez, veio com a “Moving Forward” (“Seguindo em Frente”) no mês seguinte, em maio. Esses pedidos são mostrados em outdoors, postagens online, e-mails aos usuários e anúncios de televisão – esta é, inclusive, a primeira vez que uma das empresas está veiculando na TV aberta.

(Imagem: Facebook)

A reação do público

A estratégia das duas companhias não parece ter sido muito eficaz, porém. Isso segundo a Alpha, uma plataforma de insights que verificou as respostas de 1.025 consumidores por meio de uma pesquisa de marketing. Os anúncios foram vistos por mais da metade dos entrevistados, o que significa que a visibilidade dos pedidos de desculpas está indo bem.

Contudo, quase um quarto dos que conferiram os anúncios disseram que não desculpam as companhias, e apenas 14% das pessoas aceitaram os pedidos da Uber. Os demais alegaram que estavam indecisos, ou então não sabiam exatamente o que as duas gigantes fizeram de errado. Isso não significa que a plataforma de corridas fez um trabalho melhor de visibilidade, pois 71% dos entrevistados não tinham visto as peças da campanha.

A conclusão leva a dois cenários: ou as duas empresas falharam em vender a mensagem que queriam passar, ou houve uma falta de visibilidade mesmo. Por outro lado, os esforços e os investimentos para se desculparem publicamente provavelmente devem enaltecer tanto o Facebook quanto a Uber aos olhos dos acionistas e parceiros, já que isso mostra que eles estão assumindo a responsabilidade de seus atos.

Fonte: Business Insider

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.