4 maneiras de saber se as empresas estão manipulando os comentários online

Por Redação | 07 de Agosto de 2013 às 09h10

A disputa pela atenção dos consumidores é grande, principalmente no mundo virtual, onde somos bombardeados por uma série de informações e ofertas. Para se destacar, alguns fabricantes e empresas optam por manipular opiniões na web, e para isso utilizam uma série de "truques".

Algumas dessas empresas são mais sutis, enquanto outras utilizam métodos bem diretos. De qualquer maneira, você deve saber que é importante investigar as "opiniões" que lê na Internet enquanto está avaliando compras potenciais. Joshua Lockhart, do MakeUseOf, dá algumas dicas para verificar se os comentários online estão sendo manipulados de algumas forma pelas empresa.

1. A palavra de ordem é: SEO

SEO

As relações públicas são essenciais para qualquer empresa, mas, na idade moderna, você tem que contratar alguém que saiba o que está fazendo. A maioria das empresas que trabalha o jogo de manipulação online contrata serviços pesados de SEO (Search Engine Optimization) – que fazem com que as suas páginas apareçam nas primeiras posições nos principais mecanismos de busca como Google ou Bing. Fato é que o SEO é um elemento chave quando falamos de promoção online.

Os responsáveis pelos serviços de relações públicas tendem a identificar opiniões e artigos positivos já existentes na web e utilizar várias estratégias de otimização para elevá-los ao topo dos motores de busca. Assim, os comentários ruins ficam sempre no final da lista. Não podemos culpar essas empresas por apenas querer destacar seus lados positivos. Além disso, se você quiser encontrar opiniões legítimas em relação a alguma empresa ou produto, é de seu interesse olhar além das primeiras páginas de pesquisa.

Saiba mais: Os principais erros de quem quer estar no topo da lista de resultados do Google

2. Falsos comentários

Livro Trust Me I'm Lying

Caso você ainda não saiba, algumas empresas costumam postar falsos comentários sobre si na web. Não existe uma fórmula para saber quando um comentário é falso ou real, mas basta navegar um pouco nas mídias sociais para encontrar uma série de comentários fantásticos a respeito de uma empresa ou produto que foram apenas copiados e colados ali. Devido a essa tendência, a Universidade de Cornell, dos Estados Unidos, criou um site chamado "Review Skeptic" (algo como "Crítica cética"), dedicado apenas para "fins de entretenimento".

O site surgiu após pesquisadores da instituição norte-americana descobrirem por meio de estudos que alguns hotéis tendem a publicar críticas elogiosas sobre si mesmos na Internet. No Review Skeptic, você pode copiar e colar comentários para verificar se eles são falsos ou não com base em alguns algoritmos. Além disso, se você conhece um comentário falso que circula pela web, você pode informar ao site para que seu banco de dados seja ampliado.

3. Consumidores comprados

Cinco estrelas na Amazon

Em 2013, a revista Time publicou um artigo sobre uma empresa chamada "VIP Deals", que vendia cases de couro para tablets por US$ 59,99. Porém, após algum tempo, quando os consumidores fizeram buscas online do mesmo case para seu Amazon Kindle, encontraram ofertas do mesmo produto e da própria VIP Deals por menos de US$ 10 mais frete.

Ao receber o pedido em casa, os consumidores verificaram a presença de uma carta que os "convidava" a escrever uma boa resenha do produto no site da Amazon. "Em troca de escrever a resenha, vamos reembolsar seu pedido, de modo que você receberá o produto gratuitamente", dizia o bilhete. Cada estrela dada no comentário valia 2 dólares de reembolso. Ou seja, mesmo sem achar que o produto era realmente tão bom, as pessoas escreviam ótimos comentários para atrair novos consumidores. Esse tipo de reembolso é ilegal, e gerou muita polêmica na época em que foi desmascarado.

4. Comentários afiliados

Programa de afiliados da Amazon

Neste caso, os consumidores recebem um link personalizado para um produto participante de um programa de afiliados, como o da Amazon, e sempre que esse link é clicado, eles recebem uma pequena quantia, uma espécie de "comissão" por ter feito propaganda do produto vendido. Isso pode ser correto em determinadas situações. Por exemplo, se você é meu amigo e diz que estava comprando um produto que eu já havia comprado, eu poderia dizer: "Você se importa de usar o meu link de afiliado, já que eu te indiquei o produto?".

Isso não parece tão ruim, certo? O problema começa quando bloggers populares escrevem comentários surpreendentemente positivos em relação aos seus produtos, disponibiliza o link de afiliado para eles e, em seguida, os promove em seu site. Com o alto poder de alcance que essas pessoas têm na web, fica fácil promover uma série de comentários afiliados como se eles fossem legítimos e completamente espontâneos.

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!