ZenWatch 2, da ASUS, deve ser apresentado no mês que vem

Por Redação | 17 de Maio de 2015 às 19h24

Após comentários relacionados a um possível atraso e muita especulação, o CEO da ASUS, Jerry Shen, fez questão de deixar claro que os problemas ficaram para trás e o lançamento do ZenWatch 2 voltou a seguir de acordo com o cronograma original. E não vai demorar muito para que a gente dê a primeira olhada no novo smartwatch da marca, já que ele deve ser exibido em junho, na Computex, feira de tecnologia que começa no próximo dia 02 de junho, em Taiwan.

Lá, saberemos o que a ASUS está planejando para sua nova geração de relógios inteligentes, que também não deve demorar muito para chegar ao mercado. De acordo com o executivo, o lançamento está previsto para o terceiro trimestre de 2015. Então, é bem possível que, na própria Computex, já tenhamos informações concretas como preço e uma data exata para chegada do dispositivo.

O gadget, claro, vai rodar o sistema operacional Android. Mas seu grande destaque está mesmo na vida útil da bateria que, de acordo com a ASUS, não vai exigir que o usuário recarregue o aparelho todos os dias, como muitos smartwatches do mercado atual. A promessa, aqui, é de uma autonomia de até quatro dias com uma única carga - o dobro do ZenWatch atual, que já foi bastante elogiado por isso.

De acordo com Shen, essa mudança acontece por meio de uma otimização do sistema operacional. Apesar de ser baseada no Android Wear, a versão que está dentro do ZenWatch 2 é, segundo a companhia, mais rápida, eficiente e econômica, permitindo que as mesmas operações sejam feitas de maneira mais eficaz.

A autonomia de bateria já é um dos pontos principais da oferta de smartwatches da ASUS. Neste ano, a companhia já lançou o VivoWatch, aparelho que roda um sistema operacional mais simples e pode aguentar até 10 dias com uma única carga. É claro, ele está longe de ser tão avançado quanto um aparelho que roda o Android Wear, por exemplo, mas serve como um indicativo do que está por vir.

O objetivo da ASUS é chegar a um relógio que funcione por uma semana, de forma ininterrupta. Isso se dá, de acordo com Shen, por uma mudança de visão – para a empresa, os gadgets nada mais são do que acompanhantes para os smartphones no bolso, então, suas estruturas internas de processamento podem ser simplificadas ao máximo para melhorar a eficiência energética e trazer mais conveniência aos usuários.

Fontes: Focus Taiwan, Android Central

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.