Xiaomi anuncia novos aparelhos com sensor biométrico e processadores Intel

Por Redação | 24.11.2015 às 10:34

Após semanas de especulações e rumores, a Xiaomi finalmente anunciou sua nova linha de dispositivos e, ao que parece, entra agora na era do metal. Ao demonstrar publicamente o smartphone Redmi Note 3 e o tablet Mi Pad 2, a companhia fez questão focar no design, que não esconde as inspirações na concorrência, principalmente a Apple, e o ataque ao mercado de médio porte, mas com aparelhos que têm cara de topo de linha.

O Redmi Note 3 marca a primeira vez que um dispositivo da marca conta com um sensor de impressões digitais, localizado na parte traseira, como boa parte da oferta recente de dispositivos Android. Outro ponto de atenção é o tamanho, com 8,6 mm de espessura e 164 gramas, valores baixos quando se leva em conta que, na parte de dentro, está uma bateria de 4.000 mAh que a Xiaomi afirma estar entre as maiores já colocadas em um smartphone.

Redmi Note 3

As especificações não têm nada especial e colocam o aparelho no segmento de intermediários. A tela é de 5,5 polegadas e resolução 1080p, ideal para o consumo de mídia e visualização de imagens, juntamente com a câmera de 13 megapixels. Dentro do Redmi Note 3 está um processador MediaTek Helio X10 com oito núcleos operando a 2 GHz, 2 GB de memória RAM e 16 GB de espaço para armazenamento, com slot para cartão microSD. O valor também o coloca entre os médios e o lançamento na China vai acontecer por um preço equivalente a US$ 140, mais ou menos R$ 520.

Já no caso dos tablets, a inspiração vem até no nome. O Mi Pad 2 chega com um design 18% mais fino e 13 gramas mais leve que seu antecessor, ao mesmo tempo em que melhora suas funcionalidades, fruto da ação do processador Atom X5-Z8500 da Intel. O dispositivo, também de médio porte, marca o começo da parceria entre a Xiaomi e a fabricante norte-americana de chips, que entra de cabeça em um mercado mobile bastante efervescente.

Mi Pad 2

A tela também traz a mesma resolução da última geração de iPads, 7,9 polegadas com resolução de 2048 pixels por 1536 pixels. Mais uma vez, o consumo de mídia é o foco aqui, com um trabalho sendo feito também nos alto-falantes para melhorar a qualidade de som. Ainda vale a pena citar o conector USB de tipo C. Todos são itens de série, mas o usuário tem opção entre dois modelos – um com 16 GB de capacidade (cerca de R$ 580) ou 32 GB, por aproximadamente R$ 750.

Isso, claro, são valores para o mercado chinês. A Xiaomi chegou recentemente ao mercado brasileiro e vem ofertando seus smartphones pelas próprias mãos por meio de uma loja online. Por aqui, porém, ainda não há previsão para chegada do Redmi Note 3 ou do Mi Pad 2. Os nossos amigos orientais, porém, colocam as mãos nos aparelhos já nesta sexta-feira, 27 de novembro.

Fonte: Slash Gear, GSM Arena #1 #2