Warner sabia dos problemas de Batman: Arkham Knight nos PCs há meses

Por Redação | 02.07.2015 às 12:38

Enquanto Warner e Rocksteady seguem tentando corrigir os vários problemas da versão para PC de Batman: Arkham Knight, mais sujeira é atirada ao ventilador. Como se não bastasse o game ter suas vendas interrompidas por estar praticamente injogável na plataforma, eis que novas informações revelam que as empresas estavam cientes de tudo isso meses antes das dores de cabeça começarem e o Homem-Morcego ser tão humilhado assim.

De acordo com o Kotaku, dois desenvolvedores que estiveram ligados à produção do game comentaram sobre o assunto e disseram que a Warner sabia da situação e que “acham engraçado” ela agir como se não soubesse de nada, sendo que todos os problemas que os jogadores encontraram na versão de PC são os mesmos, “sem mudanças”, há um ano.

O pior de tudo é que, segundo eles, a Warner decidiu seguir com o cronograma de lançamento mesmo estando ciente de todos os problemas envolvidos, achando que o jogo estava bom o suficiente para chegar ao mercado. E o resultado disso a gente viu na última semana, quando Batman: Arkham Knight liderou os pedidos de reembolso no Steam e teve suas vendas suspensas para evitar mais dores de cabeça.

O curioso é que, após todos os problemas virem à tona, a distribuidora emitiu uma nota oficial explicando a retirada do jogo na loja da Valve afirmando que a decisão se deu exatamente pelo fato dela levar muito a sério a qualidade de seus títulos. Se isso é verdade, por que deixou algo desse nível ser lançado? Por enquanto, apenas uma atualização foi liberada, mas, apesar de corrigir alguns bugs, ainda não solucionou todas as falhas do game.

Batman Arkham Knight

E um dos principais responsáveis por tornar as coisas ainda mais complicadas para o desempenho do Homem-Morcego nos PCs foi exatamente o Batmóvel. Uma terceira fonte, que esteve envolvida no processo de garantia de qualidade, falou ao Kotaku que havia milhões de bugs específicos dos computadores relacionados à queda na taxa de quadros por segundo, além de problemas com texturas e que o veículo era um dos fatores que causava tudo isso.

Só que houve também um sério desvio de foco durante esse processo de testes. Como a Rocksteady também estava com dificuldade na versão para consoles — o que justifica o atraso do game, que devia ter sido lançado inicialmente em outubro de 2014 —, o estúdio concentrou seus esforços ali e deixou os computadores de lado. Tanto que apenas cerca de 10 pessoas de uma equipe de 100 ficaram responsáveis pelos testes nos PCs na tentativa de resolvê-los, ficando bem aquém do necessário e do suficiente.

Assim, como se trata de um jogo enorme e com muitas possibilidades, os testers tinham que se desdobrar para encontrar tudo o que pudesse ser problemático. E, como se não bastasse, os desenvolvedores tinham que corrigir as centenas de erros encontrados ao mesmo tempo em que trabalhavam no desenvolvimento em si do game, o que deixou tudo mais conturbado e confuso.

Além disso, a Rocksteady não realizou alguns testes considerados padrão para verificar o desempenho do game no PC para evitar que detalhes da história do game vazassem antes da hora. Embora o Kotaku relate que esse tipo de prática não é tão rara, fica nítido que o cuidado excessivo para manter em segredo a identidade do Arkham Knight teve seu preço.

Via: Kotaku