SMS ainda é usado para enviar mensagens indesejadas. Saiba como evitá-las

Por Redação | 22.06.2015 às 11:42
photo_camera Divulgação

Embora aplicativos como Viber e WhatsApp sejam o principal meio de comunicação entre donos de smartphones, o SMS continua na ativa, principalmente como forma das empresas enviarem anúncios e lembretes aos usuários. Por conta disso, é preciso ter atenção redobrada para não cair em golpes, uma vez que essas mensagens instantâneas são alvos frequentes de cibercriminosos.

Essa é a constatação de vários especialistas em segurança, que alertam: o mercado negro movimenta anualmente cerca de 5 bilhões de torpedos com conteúdo indesejado e/ou malicioso. O número é bastante expressivo, mas o SMS é a plataforma menos impactante usada por spammers e terceiros - o que nos leva a concluir que outras ferramentas de conversação apresentam ainda mais riscos.

"É um meio caro que tem sido gradativamente substituído por canais gratuitos, tais como o e-mail e, mais recentemente, o WhatsApp", explica Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky Lab Brasil. No entanto, Tiago Luz, diretor de negócios da Movile, lembra que, enquanto o número de usuários que abrem e-mails promocionais é de apenas 22%, o mesmo índice sobe para 98% no SMS. Tal porcentagem ganha ainda mais força pelo fato do recurso estar em queda, frente a alternativas como os apps móveis.

"Com a migração para aplicativos de comunicação instantânea, como o WhatsApp, o SMS acabou se tornando uma plataforma destinada quase que exclusivamente para propagandas. Antes, no entanto, essas mensagens se mesclavam às úteis. Por isso, a sensação de aumento [do envio de SPAM via SMS]", explica Thiago Hyppolito, engenheiro de produtos da Intel Security.

Em contrapartida, Marco DeMello, diretor-executivo da empresa brasileira de segurança digital PSafe, alega que a atenção deve ser redobrada em todos os casos, já que muitos torpedos são enviados por presidiários com provedores piratas de SMS.

"O valor pago pelo usuário para responder ou enviar SMS de participação em promoções falsas é revertido em crédito para celulares de bandidos ou desviado para uma conta bancária administrada pelos golpistas. Muitas mensagens ainda pedem informações pessoais, como seus dados e número do cartão de crédito, potencializando o dano causado", afirma.

Nem tudo é uma ameaça

Claro que nem sempre as mensagens de texto podem comprometer os dados do usuário no celular, uma vez que muitas delas são propagandas enviadas por empresas de telefonia. De acordo com Luz, a diferença do SMS pirata e do legal é que este último segue normas de condutas que vetam conteúdos como pornografia e campanhas enganosas, além do horário em que são mandados.

Luz ainda explica que a identificação do SMS pirata pode ser feita com base no remetente. "Os torpedos oficiais geralmente são enviados por números de 3 a 5 dígitos. Já os ilegais possuem os tradicionais 9 ou 8 dígitos, além do DDD", diz.

"Antes de acreditar em qualquer coisa, pergunte-se sempre: conheço a procedência dessa mensagem? Se a resposta for não, o ideal é ignorar. E caso a oferta seja de uma empresa conhecida, vale fechar a mensagem e entrar no site oficial onde possivelmente a promoção vai estar anunciada", afirma Hyppolito.

Livre-se das mensagens indesejadas

Enviar SMS contendo anúncios não é proibido, desde que as empresas tenham sua permissão. Atualmente, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) possui uma norma que especifica essa medida, além de exigir que as companhias a deixem explícita nas cláusulas do contrato assinado na aquisição da linha. Caso você ainda receba esse tipo de mensagem, basta respondê-la com a palavra SAIR, ou enviar a palavra SAIR para os seguintes números, de acordo com a sua operadora:

  • Claro: 888
  • Oi: 55555
  • TIM: 4112
  • VIVO: 457

Depois de enviar a mensagem, a prestadora confirma o recebimento do pedido, que deve ser atendido em até 24 horas. Se mesmo assim você continuar recebendo SMS com propagandas, é recomendado procurar a empresa ou mesmo a Anatel, no telefone 1331, ou ainda abrir uma reclamação junto aos órgãos de defesa do consumidor.

Há também alguns aplicativos gratuitos para bloquear o recebimento desses torpedos. Entre eles estão o McAffe MMobile Security, para Android e iOS.

Você ainda pode denunciar SMS considerados suspeitos ou que contenham llinks maliciosos. Basta enviar os números dos remetentes (com o DDD) para 7726 e, uma vez feita a denúncia, o número será impedido de enviar novas mensagens.

Fonte: UOL