Rússia quer seu próprio sistema operacional para não depender mais do Ocidente

Por Redação | 19.05.2015 às 11:43

A Rússia é mesmo um lugar mágico. Depois de produzir um tanque que usa um controle parecido com o do PlayStation, o país agora quer deixar iOS e Android de lado para desenvolver seu próprio sistema operacional para smartphones. É claro que não há nada de errado com isso, mas o que chama a atenção nessa história é exatamente o porquê.

De acordo com o ministro russo das comunicações, Nikolai Nikiforo, a ideia é diminuir a dependência da tecnologia ocidental ao desenvolver algo próprio. Assim, 25 anos depois, parece que eles ainda não saíram da Guerra Fria e continuam pensando como se houvesse um muro dividindo o mundo em dois.

Nikiforo explica que, para isso, a Rússia vai criar seu próprio sistema a partir do Sailfish, um sistema operacional para dispositivos móveis de código aberto produzido por uma companhia finlandesa. E as negociações para que isso se torne realidade já começaram.

Em entrevista ao jornal RBC, o ministro traçou uma meta bem clara quanto a esse projeto. Para ele, o objetivo é diminuir essa dependência dos Estados Unidos ao longo dos próximos dez anos. Segundo o político, a participação das companhias americanas no setor móvel do país é de 95% e, com a nova iniciativa, eles querem levar esse total para 50% na próxima década.

Só que as razões para esse corte de vínculo são um pouco mais escusas do que uma simples valorização do produto local ou uma maior autonomia. Como o site Yahoo! Tech aponta, a Rússia vem sofrendo várias sanções dos Estados Unidos e da União Europeia desde que decidiu anexar a Crimeia ao seu território no ano passado. Assim, para evitar sofrer um apagão tecnológico caso essas relações se compliquem, o Kremlin se antecipou e optou por criar algo próprio e livre da ação estrangeira.

Outro fator importante destacado pela página está realmente ligada à segurança interna. Depois de toda a polêmica envolvendo violação de privacidade e espionagem pelos EUA revelada por Edward Snowden, era óbvio que a Rússia ia reagir dessa forma. Ainda mais quando a Apple e outras companhias se negaram a liberar o código fonte de seus sistemas e softwares para provar que não estavam coletando informações para a NSA.

Só que, para se livrar dessas amarras e caminhar sobre as próprias pernas em termos de tecnologia móvel, o governo russo terá que suar muito a camisa. A ideia de levar o Sailfish para disputar a liderança de mercado é boa, mas nada fácil, já que ele tem uma participação ínfima de 0,5% no mercado, ficando atrás dos sistemas da Microsoft e do BlackBerry.

De acordo com o ministro das comunicações, o sucesso do projeto não depende unicamente dos esforços governamentais, mas também dos usuários e das fabricantes do país, que precisam adotar a iniciativa para que ela realmente possa ir para frente. Enquanto essa "revolução" ainda não acontece, o país já contratou alguns desenvolvedores para que eles migrem alguns aplicativos populares para o futuro sistema da Grande Mãe Rússia.

Via: Yahoo! Tech