Remessas mundiais de eletrônicos serão 0,3% menores em 2017

Por Redação | 28.07.2017 às 06:42

De acordo com um novo estudo do Gartner, as remessas mundiais de computadores, tablets e smartphones em 2017 serão de 2,3 bilhões de unidades até o final do ano, representando um declínio de 0,3% em comparação com o ano passado. Ainda assim, espera-se que o mercado volte a crescer 1,6% em 2018.

Para Ranjit Atwal, diretor de pesquisas da empresa, “as remessas de PCs estão ligeiramente mais baixas, enquanto as de smartphone estão um pouco maiores”, mas “no geral, o crescimento de remessas do mercado de dispositivos está estável pela primeira vez em muitos anos”.

Apesar de as remessas de PCs estarem em ritmo de queda de 3% neste ano, a taxa de declínio ainda é menor do que a registrada nos últimos anos por conta do lançamento do Windows 10. Enquanto isso, os preços de componentes, como memórias e SSDs, seguem subindo, fazendo com que o mercado de computadores sinta o impacto. Isso porque “os consumidores de computadores continuam a priorizar a qualidade e a funcionalidade em vez do preço”, explicou Atwal. “Muitas organizações estão chegando ao final de seus períodos de avaliação para o Windows 10 e agora estão aumentando a velocidade com que adquirem novos PCs, já que é possível ver benefícios claros de uma melhor segurança e um hardware mais novo”, completou.

Já quanto aos smartphones, as remessas devem crescer 5% em 2017, atingindo um total aproximado de 1,6 bilhão de unidades. Os usuários seguem procurando trocar aparelhos de baixo custo por smartphones básicos e intermediários, com preços mais elevados, mas, ainda assim, acessíveis. O mercado de dispositivos básicos deve registrar 688 milhões de remessas neste ano, mostrando um aumento de 6,8% em comparação com o ano anterior.

Com relação aos aparelhos topo de linha, “o crescimento contínuo de smartphones premium neste ano será altamente dependente da edição de aniversário do iPhone da Apple, que deve trazer atualizações de design e de funções mais profundas do que as últimas versões. Os anúncios recentes da Apple indicam que algumas novas tecnologias e funcionalidades também podem aparecer no próximo lançamento do iPhone em áreas como realidade aumentada e aprimoramento do aprendizado de máquina”, opina Roberta Cozza, diretor de pesquisas do Gartner.