Relatório aponta que indústria de drones pode estar ameaçada

Por Redação | 21.08.2015 às 08:36

Um relatório publicado pela Lloyd's, empresa especializada em seguros, mostra que a indústria de drones está fortemente ameaçada por problemas como ataques cibernéticos, imprudência dos pilotos e violações de privacidade.

O setor de drones é um componente bastante importante na indústria de aviação global e a despesa de aquisição deve dobrar para US$ 91 bilhões nos próximos 10 anos. Porém, segundo o relatório "Drones Take Flight", preocupações relacionadas à vigilância e segurança também precisam ser consideradas por fabricantes e usuários.

O estudo destaca os riscos fundamentais que ameaçam o setor, como violação de privacidade, descuido dos operadores e vulnerabilidade dos equipamentos a ataques cibernéticos. Além disso, ainda não há harmonia entre o ambiente regulatório e as jurisdições internacionais. Com o crescimento rápido e desigual dessa indústria, fica mais difícil que a regulação seja feita de forma eficiente e rigorosa sem contar com o apoio tecnológico para rastreio e monitoramento do uso dos drones.

Ainda de acordo com a pesquisa, o controle eficaz do espaço aéreo e a tecnologia de prevenção de colisões serão requisitos fundamentais para o seguro dos drones que operam em áreas congestionadas. Então, os seguradores acabam se tornando propensos a exigir dos controladores melhores medidas para diminuir os riscos. Entre as alternativas estão treinamento e certificação, fortalecimento da segurança cibernética e a realização de avaliações de impacto de quebra de privacidade.

"Drones têm um potencial significativo, mas são, ao mesmo tempo, uma tecnologia emergente controversa. À medida que o mercado de drones continua a crescer, o mesmo acontece com a interação de exposições ao risco", afirma Nick Beecroft, gerente de riscos emergentes e pesquisa da Lloyd's.

Ele também comenta que "os fabricantes, operadores e reguladores terão que trabalhar em conjunto, de forma global, para compreender as exposições e garantir que esta tecnologia seja utilizada de forma segura e responsável".

Marcos Castro, presidente da empresa, diz que os drones já são usados em vários setores comerciais, incluindo agricultura, infraestrutura, filmes, logística e serviço de segurança. "Prevejo que a demanda por seguros irá aumentar à medida que as aplicações comerciais e a aceitação se expandirem. Os sindicatos da Lloyd’s podem oferecer cobertura para perdas e danos materiais e riscos de responsabilidade e o mercado da companhia continua a desenvolver novas soluções para apoiar este setor emergente", diz.

O relatório completo pode ser visto aqui.