Redes 5G terão 550 milhões de acessos em 2022, aponta Ericsson

Por Redação | 16 de Novembro de 2016 às 18h55

Um relatório divulgado pela Ericsson aponta que os acessos 5G deverão chegar a 550 milhões no mundo em 2022, com um quarto desde número vindo de usuários na América do Norte.

Os dados são do Relatório de Mobilidade, pesquisa realizada anualmente pela Ericsson. Segundo a pesquisa, os Estados Unidos puxarão a frente do 5G, pois já começaram a promover a tecnologia e testes iniciais antes mesmo da padronização, que só deverá acontecer em 2020.

Por sua vez, a América Latina deverá atingir a marca de 2 milhões de acessos no período, enquanto a região da Ásia/Pacífico ficaria com cerca de 55 milhões.

A pesquisa também apontou outras mudanças no uso de internet móvel na América Latina, afirmando que até 2022 a maioria dos acessos será por redes LTE, com 55%. Atualmente, a metade destes acessos ainda está em redes 3G.

Para fins de comparação, a América do Norte já opera com 65% de seus acessos em redes LTE, e para 2022, 25% dessa base deverá migrar para o 5G. As projeções da Ericsson podem ser vistas no gráfico abaixo.

De acordo com a companhia europeia, até o final deste ano 3,9 bilhões de acessos serão em smartphones, com 90% desse total vindo de banda larga móvel (3G e 4G). Em 2022, a base de uso será de 6,8 bilhões de smartphones, com mais de 95% das assinaturas atribuídas às tecnologias 3G, 4G e 5G.

O número de assinaturas móveis também terá um salto em cerca de cinco anos. Atualmente, o planeta conta com 7,5 bilhões de contas ativas. Em 2022, este número deverá subir para aproximadamente 8,9 bilhões. No terceiro trimestre, foram 84 milhões de adições à base global de telefonia móvel.

Fonte: Teletime