Procon traz lista negra com sites para evitar nessa Black Friday

Por Redação | 26.11.2015 às 12:12

A Black Friday está logo aí e, junto com as várias promoções que estão sendo prometidas para a sexta-feira (27), vem também a preocupação de sempre. Afinal, como se empolgar com os preços baixos sem abrir mão da segurança? Pois o Procon de São Paulo decidiu dar uma mãozinha nessa tarefa e, para ajudá-lo a não cair em fraudes fantasiadas de descontos, trouxe uma lista de sites não confiáveis para evitar uma roubada.

A lista negra reúne lojas especializadas em vendas digitais que colecionam reclamações de todo o país. São aqueles sites de que você nunca ouviu falar, mas que volta e meia aparecem com uma oportunidade imperdível para enganá-lo, seja nunca entregando o produto ou trazendo algo bem diferente daquilo que havia sido prometido. A ideia é que, com isso, as pessoas saibam de antemão quais os endereços a evitar para não serem passadas para trás em uma propaganda enganosa ou mesmo um puro e simples roubo.

O Procon-SP garante ainda que a lista é atualizada constantemente e inclui até mesmo o CNPJ dos responsáveis por cada loja, além de indicar se o endereço ainda está ativo ou se já foi retirado do ar. Desse modo, se você encontrar aquele site desconhecido oferecendo algo do seu interesse, é só acessar a página e verificar se há alguma menção a ele por lá. Para conferir, basta clicar aqui.

Um dos pontos mais curiosos (e perigosos) dessa lista toda são os nomes escolhidos pelos golpistas. Alguns apelam para a facilidade e simplicidade para serem sempre os primeiros resultados no Google, como Me Dá Desconto e Adoro Compra Online, quanto alguns que se aproveitam de estabelecimentos já conhecidos e fazem apenas pequenas alterações para brincar com a memória do consumidor. Afinal, na empolgação do desconto, é fácil comprar na Magazine Ricardo e Fit Shoes achando que está na Ricardo Eletro, Magazine Luiza ou Netshoes.

Além disso, o Procon-SP também já havia anunciado anteriormente que vai realizar fiscalizações constantes ao longo de toda a sexta-feira nas redes sociais em busca de denúncias feitas por usuários. A partir da hashtag #ProconSPdeolhonaBlackFriday, o órgão vai analisar as reclamações e indícios de fraudes apresentados pelas pessoas tanto no Twitter quanto no Facebook.

Via: Procon-SP