Os novos materiais disponíveis na impressão 3D

Por Colaborador externo | 28.04.2015 às 07:20

Por Luiz Fernando Dompieri*

Se há pouquíssimos anos a impressão 3D era algo completamente desconhecido e futurista para a grande maioria das pessoas, hoje ela já está presente nos mais diversos ramos do mercado. Mais que isso, já não é privilégio apenas de multinacionais e, cada vez mais, é capaz de contribuir diretamente para a vida de cidadãos comuns.

A evolução dessa tecnologia pode ser notada graças a fatores como a velocidade, a precisão da impressão e a redução dos custos do equipamento. Mas outro fator tão - ou até mais –importante quanto os demais foi o aumento na gama de materiais disponíveis para a utilização em impressoras tridimensionais, o que fez com que diversos setores enxergassem esses equipamentos como algo útil e, por que não, fundamental para o desenvolvimento de suas criações.

Há máquinas nos Estados Unidos - que devem chegar ao Brasil muito em breve - para a impressão de peças em metal, um material com densidade superior até que a de peças fundidas. Elas conseguem trabalhar com cerca de 15 diferentes metais, como aço inoxidável, aço ferramenta, alumínio e titânio, e colaboram com setores que exigem produção com riqueza de detalhes, mas não massificada, como a indústria aeroespacial.

Existem ainda outros materiais, como a cerâmica, que permitirá a impressão de uma nova gama de peças. Quando imaginamos imprimir nosso próprio jogo de pratos ou xícaras? Isso também será possível dentro de algum tempo, ao menos para os norte-americanos, visto que está em desenvolvimento por lá um equipamento capaz de imprimir peças de porcelana, uma alegria para quem aprecia ou trabalha com cerâmica.

Além desses, empresas e pessoas já têm a seu alcance materiais que permitem construir estruturas e realizar a fundição dos objetos; materiais duráveis para uso na produção; plásticos à base de nylon e outras resinas; e também os biocompatíveis com o corpo humano, para serem usados, por exemplo, como guia cirúrgico. E, por fim, precisamos nos lembrar daqueles equipamentos que prometem mudar o dia a dia de todos que apreciam uma boa sobremesa: acreditem ou não, já é possível imprimir itens comestíveis em açúcar e chocolate, e tudo de forma personalizada e deliciosa.

* Luiz Fernando Dompieri é Diretor Geral da 3D Systems Latin America