Nova tecnologia para carregamento sem fio será apresentada na CES

Por Redação | 24.12.2015 às 09:05

A startup norte-americana Ossia anunciou nesta terça-feira (22) que fechou uma parceria com a operadora de telecomunicações japonesa KDDI para a entrega de sua tecnologia de carregamento sem fio que Cota.

Diferente de outras tecnologias atuais de carga por indução, o sistema desenvolvido pela Ossia é completamente remoto, o que significa que qualquer dispositivo pode ser carregado sem nenhum tipo de acessório, como uma base de carga.

Para distrubuir a energia elétrica, a tecnologia Cota utiliza um hub parecido com um roteador Wi-Fi, que carrega dispositivos como smartphones, tablets, controles remotos e outros sistemas à distância. De acordo com a empresa, a antena do sistema é capaz de identificar automaticamente quais os dispositivos no ambiente que precisam de carga, e distribui a energia diretamente para os gadgets em um raio de até 10 metros - mesmo através de obstáculos, como paredes.

A KDDI já havia apostado na tecnologia da Ossia e se tornou um dos primeiros investidores da empresa norte-americana, através do seu fundo de inovação. Agora, com o anuncio da parceria de distribuição, a expectativa é que a tecnologia da Ossia tenha acesso a base de 40 milhões de clientes da japonesa.

A parceria entre as empresas também rendeu alguns novos produtos que prometem "revolucionar o carregamento sem fio" e que serão demonstrados pela Ossia durante a CES 2016, um dos principais eventos anuais do calendário de tecnologia que acontece na primeira semana de janeiro, em Las Vegas.

Um dos grandes potenciais de aplicação para a tecnolgia de carregamento sem fio remoto da Ossia é para a tendência da Internet das Coisas (IoT). Com a necessidade de manter milhões de dispositivos interconectados o tempo todo, uma forma eficiente de distribuir energia elétrica para esses gadgets é uma questão central para o avanço da IoT.

"A capacidade de transmitir dados sem fio foi o primeiro passo na revolução móvel. Libertar as pessoas da dependência dos carregadores de dispositivos móveis é o próximo passo", comentou o fundador e CEO da Ossia, Hatem Zeine, em um comunicado.

Fontes: Tecmundo, Ossia