Estudo mostra que a a segurança ainda é um desafio na Internet das Coisas

Por Redação | 22.06.2015 às 18:08

Um estudo recente criado pela Capgemini Consulting indica que o potencial mercado da Internet das Coisas (IoT), estimado em trilhões de dólares, esbarra em um fator bastante crítico da tecnologia: a segurança.

Na pesquisa "Securing the Internet of Things Opportunity: Putting Cyber Security at the Heart of the IoT", 100 startups e organizações tradicionais foram entrevistadas, de diversos segmentos como dispositivos vestíveis, equipamentos médicos, automotivo e automação residencial. Na análise, foi considerado o nível de transparência das políticas fornecidas aos usuários.

O levantamento aponta que cerca de 71% dos executivos que participaram da entrevista concordaram que as preocupações de segurança são capazes de influenciar a decisão de compra dos clientes para os produtos da Internet das Coisas. Mesmo com o alerta constante de especialistas, uma grande parte das organizações não oferece garantias adequadas de privacidade e segurança para os seus produtos.

Ainda segundo o estudo, apenas 33% dos executivos acreditam que os seus produtos são resistentes aos ataques cibernéticos. Entre as organizações entrevistadas, cerca de 47% não fornecem quaisquer informações de privacidade relacionadas aos seus produtos.

A pesquisa ainda apontou um fato considerado bastante preocupante: a maioria das empresas não considera a segurança como um dos focos principais no processo de desenvolvimento do produto. Para 35% delas, a escassez de profissionais especializados é um dos principais desafios para a garantir essa segurança.

Apenas 48% das companhias garantem se concentrar em assegurar seus dispositivos desde o início da fase de desenvolvimento e 36% trabalham para que seja feita a modificação do processo para focar na segurança desde o início da concepção do produto.

O estudo completo pode ser analisado aqui.