Samsung patenteia tecnologia de leitura de íris para smartphones

Por Redação | 26.11.2013 às 12:45

Mesmo com o lançamento do iPhone 5 e seu leitor biométrico, que não é novidade no mundo dos smartphones e mesmo assim foi tido como algo revolucionário por estar presente num smartphone da Apple, isso não significa que você está seguro.

É bem mais fácil roubar uma impressão digital do que um globo ocular, e o leitor biométrico não passa de apenas mais um recurso no telefone da Maçã. Até então, era muito complicado adaptar um leitor de íris num smartphone.

Os custos para implantar esta tecnologia num dispositivo móvel eram muito altos, já que o método mais popular envolve usar um feixe de luz, o que não funciona com todos os tipos de íris, já que algumas não têm pigmentos de melanina suficientes para o leitor funcionar.

O outro método para detecção de íris era o uso de luz infravermelha, porém também é uma maneira cara e que adiciona peso ao smartphone, tornando-se uma alternativa impraticável. Diante das implicações e dificuldades, a Samsung traz sua nova patente.

De acordo com o jornal sul-coreano The Korea Herald, ela usou uma combinação do sensor de aproximação com uma luz, o que transforma este no mais simples, barato e eficaz método para se fazer a leitura da íris do usuário, independente do nível de pigmentação de seu olho.

É realmente mais seguro?

Sim, já que a íris dispõe de um número maior de padrões, o que a torna quase impossível de falsificar. Além disso, é algo rápido: bastam dois segundos e nenhum contato direto. Também não importa se você usa lentes de contato ou óculos. No entanto, apesar de promissora, esta ainda é uma tecnologia em desenvolvimento.

Quando veremos esta tecnologia em uso?

Difícil dizer, mas já apareceram rumores afirmando que o Galaxy S5 virá com esse sistema de detecção da íris do usuário em vez de usar um leitor biométrico ou leitor de retinas. Pode ser até que apareça no Galaxy Note 4, mas tudo não passa de rumor. A única certeza é que a Samsung só vai aplicar a tecnologia em seus aparelhos quando achar que ela está madura o suficiente.

Qual a diferença entre leitura de íris e de retina?

Todos nós já assistimos a filmes onde chega um alguém e aponta o olho para um leitor de retina que emite uma luz vermelha e escaneia o globo ocular. Mas não é assim que a tecnologia da Samsung deverá funcionar.

Leitura de retina é bem mais obstrutiva do que leitura de íris, além da primeira ser mais insegura que a segunda, pois a retina tende a mudar com o tempo por motivos de doença ou outros problemas. A íris, por outro lado, permanece a mesma por toda a vida.

Enquanto ambas as tecnologias são bem seguras e se baseiam na leitura do globo ocular, a detecção de íris é bem similar a um reconhecimento facial. Captura-se uma foto da dela e então ela é escaneada em busca de uma combinação. A maior diferença está no fato de que este método é bem mais difícil de falsificar do que um mero reconhecimento facial.