Samsung cede à pressão do Google e pode descartar interface Magazine

Por Redação | 30 de Janeiro de 2014 às 13h40
photo_camera Reprodução

O mês de janeiro foi marcado pela tradicional Consumer Electronics Show e vários anúncios de novos dispositivos, protótipos e serviços. Neste ano, um dos anúncios que mais chamaram a atenção do público foi o novo tablet de 12 polegadas da Samsung, o Galaxy Tab PRO. Como de costume, o dispositivo roda o Android, mas sua interface gráfica, totalmente remodelada e rebatizada de Magazine UX, surpreendeu – e assustou os executivos do Google. Um misto entre o Flipboard e a interface metro do Windows 8 da Microsoft, a nova aparência lembra muito pouco o Android e afasta-se completamente da ideia do sistema operacional do Google.

Insatisfeita, a companhia sediada em Mountain View teria chamado a sul-coreana para conversar ainda durante a CES 2014 e pedir-lhe que diminuísse o número de modificações que fez no sistema operacional. De acordo com o site Re/code, aparentemente ambas as empresas chegaram a um acordo que agradou a todas as partes, mas nenhum detalhe sobre o que foi acordado foi comentado por seus representantes. "Para continuar nosso trabalho de oferecer uma excelente experiência de usuário e agregar valor às vidas das pessoas, a Samsung continuará a identificar e fornecer serviços diferenciados e inovadores e conteúdo nos nossos dispositivo móveis", limitou-se a dizer um representante da fabricante de telefones.

Acredita-se, todavia, que a Samsung pode ter concordado em alterar ou até mesmo abandonar a interface Magazine e, ao invés de modificar o Android, oferecer uma versão "quase pura" do sistema operacional nos seus próximos lançamentos. Não há muitas pistas sobre o que o Google pode ter se comprometido a oferecer à Samsung, mas é possível que tenha concordado em desenvolver o próximo aparelho da linha Nexus com a companhia sul coreana.

De toda forma, seja lá qual tenha sido o acordo, ele vem em boa hora para o Google. A empresa de tecnologia tem enfrentado graves problemas com a fragmentação do seu sistema operacional. Fontes disseram ao site que uma das maiores preocupações é com a avalanche de dispositivos chineses que estão chegando ao mercado com modificações que retiram todos os serviços do Google do Robô Verde, fazendo com que a empresa não tenha controle algum sobre o que está acontecendo.

Por ser a fabricante que praticamente carrega o Android sozinho nas costas, o acordo com a Samsung pode ajudar o Google a retomar as rédeas do sistema operacional.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.