Samsung Galaxy Note vendeu 2 milhões de unidades

Por André Fogaça | 02 de Março de 2012 às 11h58

O phablet (algo como smartphone com tablet) Galaxy Note conseguiu convencer 2 milhões de pessoas que ter este aparelho é necessário, mesmo sem deixar claro para seus clientes sobre o que ele realmente é.

O Galaxy Note é um aparelho bastante confuso. Ele é o primeiro a entrar no meio do mercado de smartphones e tablets. O problema de um aparelho entrar no meio de duas categorias - e criar uma terceira - é que pode confundir o consumidor ou até assustar e não vender nada. Aparentemente não foi o caso deste smartphone/tablet da Samsung.

Samsung Galaxy Note

Samsung Galaxy Note

Prova disto são os dois milhões de consumidores que resolveram levar um Galaxy Note para casa, deixando a marca otimista o suficiente para prever que venderá 10 milhões até o final deste ano. Outro ponto que chama atenção no gadget, é que ele volta com um acessório que foi banido dos aparelhos com tela de toque depois do lançamento do iPhone: a canetinha Stylus, que a Samsung carinhosamente chamou de S Pen.

Pode parecer estranho, mas a canetinha se mostra bastante útil para um aparelho que quer ser um caderno digital, que custa uma bela quantia de dinheiros. Quem também notou este novo mercado, seguindo a onda da Samsung, foi a LG com o Optimus VU. O representante da empresa sul-coreana LG também tem as cinco polegadas de tela, só que sem o uso de uma caneta.

Depois da morte da canetinha stylus e troca dela pelo próprio dedo, será que realmente precisamos de algo parecido em telas médias (entenda como cinco polegadas, mais que smartphone e menos que tablet)? Será que a Samsung realmente precisa estar em quase que todas as polegadas de tela (Há smartphones de 4 polegadas, tablets de 5, 7, 8 e 10 polegadas)?

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.