Pesquisa: 62% dos adultos brasileiros compartilham conteúdo íntimo pelo mobile

Por Redação | 05 de Fevereiro de 2014 às 09h30

O chamado sexting já faz parte dos hábitos da maioria dos usuários brasileiros. Para quem não conhece, o termo é usado para designar o envio ou recebimento de conteúdo íntimo por dispositivos móveis. Segundo pesquisa realizada pela empresa de segurança cibernética McAfee, 62% dos adultos brasileiros afirmam praticar o sexting, incluindo vídeos, fotos, e-mails e mensagens.

O estudo, intitulado "Amor, Relacionamentos e Tecnologia", foi realizado entre dezembro e janeiro com 500 consumidores brasileiros, na faixa etária de 18 a 54 anos, com divisão igualitária de gêneros e de localização geográfica.

Ainda de acordo com o levantamento, 82% dos entrevistados protegem seus smartphones com senha ou outro código de acesso. porém, 43% afirmam compartilhar senhas com parceiros e 49% usam a mesma senha em diversos dispositivos. Tais informações revelam uma fragilidade na proteção desses dados, o que, em muitos casos, pode contribuir para o vazamento indesejado de conteúdo íntimo.

"Com todas as histórias que ouvimos sobre fotos íntimas sendo vazadas, é difícil acreditar que as pessoas ainda estão compartilhando suas senhas", diz Gary Davis, vice-presidente de negócios de consumo da McAfee.

Segundo Davis, um dos melhores modos de prevenção de vazamentos é justamente o não-compartilhamento de senhas. Além disso, os usuários devem evitar senhas fracas, como aniversários, números em sequência ou números repetidos. De acordo com a McAfee, senhas de seis dígitos e palavras transformadas em números são mais fortes e dificilmente são descobertas.

Além de senhas compartilhadas, 60% dos entrevistados compartilham conteúdo do celular e 63%, contas de e-mail. 79% já olharam o dispositivo do parceiro para verificar o conteúdo armazenado. Quando se fala em "bisbilhotar" o companheiro, há quem seja sucetível a, por exemplo, entrar na conta do Facebook do parceiro (27%) e ainda os que admitem conferir os perfis de ex-namorados nas redes sociais (39%).

Pornô de vingança

Dentro do campo de sexting, um dos assuntos que tem causado mais burburinho e problemas relacionados a vazamentos é o chamado "pornô de vingança". Trata-se de um conteúdo íntimo de um ex-parceiro divulgado geralmente sem o consentimento da vítima.

Segundo a pesquisa, 91% dos brasileiros entrevistados dizem confiar em seus parceiros, enquanto 75% pedem pela exclusão de fotos, vídeos e outros após o término do relacionamento.

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.