Anatel: relatório mostra impacto sofrido pelas operadoras com proibição em julho

Por Redação | 17 de Agosto de 2012 às 15h50

Depois das restrições e proibições nas vendas e ativação de chips impostas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), as operadoras Oi, TIM e Claro ficaram 11 dias sem poder comercializar novas linhas, resultando em uma queda no número de novos assinantes em julho.

A maior prejudicada foi a Oi, que teve uma perda de 110.054 assinantes em relação ao mês de junho. Sua participação no mercado de telefonia móvel caiu 0,06% de junho para julho, resultando em 18,59% do total.

Já a Claro registrou um pequeno aumento de 0,02% em relação a junho, no quesito participação no mercado, conquistando 278.231 novos clientes. A operadora foi responsável por uma fatia de 24,60% do mercado.

A TIM foi impedida pela Anatel de comercializar novas linhas em 18 estados e no Distrito Federal. Mesmo assim, somou 201.343 novos clientes à sua base em julho, contra 337.298 novas linhas registradas em junho. Com participação ativa de 26,78% do mercado de telefonia móvel, a TIM registrou queda de 0,11%.

Das quatro principais operadoras de telefonia móvel do país, a Vivo foi a única que superou a marca do mês de junho, conquistando em julho 461.482 novos clientes, contra os 180.982 do mês anterior. Conseguiu registrar um aumento de 0,15%, com participação de 29,71% do mercado.

Diante destes números, pode-se notar que houve ainda uma pequena queda na diferença entre TIM e Claro. De maio para junho, era de 5.907.435 linhas. Já de junho para julho, a diferença caiu para 5.597.258.

Segundo os dados e informações da Anatel, o Brasil fechou o mês de junho com um total de 256,41 milhões de linhas ativas e teledensidade de 130,49 acessos para cada cem habitantes.

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.