Lixo eletrônico mundial deve crescer 33% até 2017

Por Redação | 16 de Dezembro de 2013 às 17h02

Até 2017, o volume global de geladeiras, TVs, aparelhos de celular, computadores, monitores e outros aparelhos eletrônicos descartados aumentará em 33%. EUA e China serão os países que mais contribuirão para isso, mas o Brasil também terá a sua parcela de culpa.

De acordo com os dados coletados por organizações governamentais e não-governamentais e pelas Nações Unidas, em parceria com a “Solving the E-Waste Problem (StEP) Initiative”, a geração de lixo eletrônico deverá aumentar em um terço até 2017 – chegando a um volume de 200 Empire State Buildings de lixo, pesando 11 vezes a Grande Pirâmide de Gyza (ou 72 milhões de toneladas).

Até agora, os dados sobre lixo eletrônico eram difíceis de serem coletados, porque cada país tem uma definição diferente para isso. Por exemplo, os Estados Unidos definem como lixo eletrônico aparelhos como TVs e computadores, já os países europeus definem como aparelhos eletrônicos todos os dispositivos que funcionam a base de pilha ou ligados à força.

“É por isso que nós desenvolvemos um mapa do lixo eletrônico. É a primeira vez que nós conseguimos adquirir dados comparáveis,” disse Ruediger Kuehr da United Nations University, na Alemanha, e secretário executivo da StEP Initiative. “Além disso, ele [o mapa] dá a magnitude do problema em nível nacional, de modo que os políticos se tornem conscientes da questão e tomem atitudes”, revelou ao site LiveScience.

O mapa interativo mostra a quantidade estimada de equipamentos elétricos e eletrônicos que chegam ao mercado e o quanto de lixo eletrônico é gerado em 184 países. Ter esses dados pode ajudar os governos e as empresas gerenciarem o seu lixo eletrônico.

No ano passado, o mundo produziu quase 54 milhões de toneladas de produtos eletroeletrônicos. Isso dá uma média de cerca de 20 Kg por pessoa no mundo. A China é o país que mais produz equipamentos eletroeletrônicos. Em 2012, o país produziu cerca de 12,2 milhões de toneladas. Os Estados Unidos são o segundo país, com cerca de 11 milhões de toneladas.

Em relação ao lixo produzido, os Estados Unidos geraram em 2012 quase 10 milhões de toneladas, a China 8 milhões de toneladas e o Brasil um pouco mais de 1,3 milhão de toneladas.

O Brasil também é o oitavo país que mais recebeu televisões consideradas lixo eletrônico em 2010. À frente do país estão México, Venezuela, Paraguai, China, Canadá, Hong Kong e Costa Rica.

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.