Novo CEO da Acer se lamenta sobre passado e esquece de falar sobre futuro

Por Redação | 14 de Janeiro de 2014 às 16h12

O veterano e experiente executivo da indústria de informática Jason Chen assumiu o posto de presidente executivo da Acer em 1º de janeiro e já decepcionou os investidores em sua primeira coletiva concedida à imprensa na segunda-feira (13), relatou a agência de notícias Reuters.

Ansiosos para saber que caminhos a companhia percorrerá para se reerguer, os investidores só ouviram Chen se lamentar sobre os erros cometidos pela empresa no passado. Para ele, o maior erro de todos foi investir cedo demais em dispositivos em painéis sensíveis ao toque e Ultrabooks e não perceber o impacto que produtos como iPads da Apple poderiam ter na indústria de computadores.

"Queríamos estimular a demanda usando nova tecnologia e tomamos a iniciativa de forma mais agressiva que qualquer outra empresa, até o ponto que nos prejudicamos", lamentou Chen. "Esperamos não repetir o mesmo erro".

Chen é o terceiro CEO da Acer em pouco mais de anos. A companhia vem passando por uma série de mudanças e há algum tempo passa por dificuldades. Somente no terceiro trimestre de 2013 a empresa amargou um déficit de US$ 446 milhões, o terceiro consecutivo.

Apesar da urgência de um plano para reerguer a Acer, Chen se limitou a comentar que eles agora precisam unir esforços para "sair do buraco" e que o foco será "alcançar a excelência operacional" para fazê-lo. O "plano", claro, não agradou aos investidores.

Sobre a situação da Acer

Antes de Jason Chen passaram pela cadeira de presidente executivo da Acer o italiano Gianfranco Lanci, que renunciou ao cargo em 2011 por disputas com o conselho sobre a direção da companhia. Lanci então foi sucedido por J.T. Wang, que ficou mais conhecido por falar o que queria em seus discursos ao invés de suas capacidades como executivo. Em certa ocasião, ele chamou o iPad da Apple de "mania" e que logo os consumidores "recobrariam sua consciência".

Foi durante o mandato de Wang que a companhia amargou os piores resultados da história e registrou uma retração de mercado de cerca de 16% somente em 2013.

Agora, com Chen, a companhia espera conseguir se adaptar a um mercado que está em transformação: cada vez mais os usuários preferem tablets e smartphones a computadores e notebooks. No entanto, o discurso feito à imprensa e investidores não surtiu efeito e, segundo a Bloomberg, as ações da Acer cairam 0,8%.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.