Mercado de smartphones já apresenta crescimento de quase 30% em 2014

Por Redação | 30 de Abril de 2014 às 14h03

281,5 milhões. Esse foi o total de smartphones colocados nas lojas pelos fabricantes apenas entre os meses de janeiro e março deste ano. É uma soma alta, que representa uma grande demanda dos usuários do mercado e um crescimento de 28,6% em relação aos números de envios registrados no mesmo período do ano passado.

Os números são do IDC (International Data Corporation) e fazem parte de uma pesquisa contínua da firma sobre a saúde do mercado de celulares. O resultado, inclusive, ultrapassou as expectativas dos especialistas do instituto, apesar de representar uma redução de 2,8% em relação aos números registrados no último trimestre de 2013.

Essa diminuição, porém, é tradicional. Como a maioria das fabricantes reserva seus grandes lançamentos para o final do ano, de forma a aproveitar as compras de Natal, os primeiros três meses do ano costumam ser mais lentos em relação à procura, com poucos modelos novos chegando ao mercado e uma redução sensível no interesse geral do público. Ainda assim, o crescimento de quase 30% mostra a saúde desse segmento em todo o mundo.

Assista Agora: Nunca mais contrate funcionários para sua empresa! Comece o ano em uma realidade completamente diferente!

De acordo com os analistas do IDC, foram os mercados emergentes os principais responsáveis pela manutenção dos números gigantescos do mercado. A busca por celulares mais baratos, de baixo e médio custo, apesar de não representar grandes lucros para as fabricantes, é um dos principais motores do segmento e, neste primeiro trimestre, foi a principal responsável pela pequena redução em relação à temporada de final de ano.

Nesse sentido, a China aparece como grande destaque, concentrando quase 40% do total de celulares enviados para as lojas em todo o mundo. A chegada do iPhone também é citada como um fator que movimentou esse território, além da procura maior por aparelhos que acessam a internet por meio da tecnologia 4G.

A expectativa do IDC é que o total de celulares disponíveis nas lojas ao longo de 2014 ultrapasse a marca de 1,2 bilhão. O total, se confirmado, representará um aumento de 19,3% em relação ao que foi registrado no ano passado, mas uma diminuição no ritmo de crescimento. A procura já começa a apresentar sinais de estagnação e esse mercado, por mais que continue lucrativo, começará a apresentar margens cada vez menores.

Quando o assunto são os envios totais, ou seja, considerando também os celulares "não inteligentes", o aumento é menor, de apenas 3,9%. No total, 448,6 milhões de unidades chegaram às lojas, um número que representa queda de 9% em relação ao final de 2013.

Top cinco

De acordo com os dados revelados pela organização, a Samsung permanece como a maior fabricante de celulares do mercado, disponibilizando mais aparelhos que a soma das quatro empresas seguintes. O lançamento do Galaxy S5, para o IDC, deve ampliar ainda mais essa margem, apesar da fabricante sul-coreana estar perdendo mercado para a Apple, principalmente na Ásia.

Falando na Maçã, o primeiro trimestre de 2014 representou a obtenção de mais um recorde, com mais de 40 milhões de celulares vendidos. O movimento em mercados emergentes como China, Brasil, Índia e Indonésia, além de um grande crescimento no Japão, firmaram a empresa na segunda colocação. O IDC, porém, aponta a necessidade de aparelhos com telas maiores para que a companhia de Cupertino possa se manter na vice-liderança e não sucumba à concorrência, que nada de braçada nesse quesito.

A diferença entre Huawei e Lenovo, que conquistaram a terceira e quarta colocações, respectivamente, é de poucos milhões de unidades. Para a segunda, porém, a expectativa é de crescimento muito em breve, assim que a aquisição da Motorola for concluída e os primeiros aparelhos oriundos dessa empreitada comecem a chegar ao mercado, principalmente no Ocidente. Na visão da firma de pesquisa, essa é uma posição que continuará sendo disputada por mais algum tempo.

A LG permaneceu no quinto lugar, com o foco em aparelhos com tecnologia LTE e as boas vendas de celulares de baixo e médio custo contribuindo bastante para os números da empresa. Em 2014, o lançamento do G3 e do tão comentado novo Nexus devem movimentar os totais da empresa nos segmentos de alto nível.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.