Mediatek anuncia chip móvel de oito núcleos reais. Precisamos de tudo isso?

Por Pedro Cipoli

Vamos começar fazendo uma referência a um artigo que publicamos há algum tempo aqui no Canaltech, quando explicamos os motivos de não termos processadores desktop de 8 núcleos ou mais à venda por ai. Em primeiro lugar, são modelos bastante caros de se produzir e em segundo, muito mais importante, é que não há uma quantidade significativa de programas que utilize todos ao mesmo tempo. Por isso eles ficam restritos a servidores e workstations de alto desempenho.

O que isso tem a ver com a Mediatek que citamos no título? Ela é uma empresa que fabrica chips de smartphones e tablets da mesma forma QUE a Qualcomm ou a Samsung, ainda que pouco conhecida por aqui. Ela cresceu bastante nos últimos tempos oferecendo soluções competitivas de chips de dois e quatro núcleos.

Mediatek octo-core

Agora, a empresa anunciou seu primeiro modelo de oito núcleos. Estamos falando de oito núcleos reais e não de um par de núcleos quad-core como acontece com o Exynos 5 (saiba mais em Por dentro do Exynos 5, processador que equipa o Galaxy S4). São oito cores independentes de processamento ativos capazes de lidar com tarefas independentes, mas vamos analisar os prós e contras dessa abordagem, afinal, temos um monstro em processamento (em teoria). Mas, e a coitada da bateria?

Melhor ainda: vamos imaginar um cenário onde as baterias dos smartphones finalmente saiam do estado letárgico de avanço onde estão e armazenem mais carga, afinal elas pouco evoluíram nos últimos tempos. Excluindo a bateria da jogada, o que o sistema operacional tirará de bom disso? A mudança de chips de dois núcleos para quatro já levantou muitas discussões sobre a sua utilidade, já que o Android pouco utiliza os núcleos extras em seus apps. Os cores adicionais acabam sendo utilizados apenas em um intenso multitarefa, algo pouco comum em smartphones.

Mediatek roadmap

Ainda não sabemos o quanto esse novo chip consumirá de energia, mas certamente não será pouco. Mesmo considerando uma capacidade de processamento assíncrono como vemos nos Snapdragon 600 e 800 da Qualcomm, continuaremos com um beberrão de energia mesmo com a tela desligada por um ganho duvidoso de performance. A MediaTek garantiu que fará otimizações para que os apps utilizem todos os núcleos, mas ainda assim isso levanta dúvidas se é só propaganda, afinal, nem desktops possuem processadores de oito núcleos (a série FX da AMD é vendida como octo-core, mas na verdade só possui 4 núcleos reais).

Por falar em Qualcomm, a empresa disse, de uma forma muito polida e de acordo com a formalidade respeitosa que se espera de uma empresa em relação a outra, que um chip octo-core é "pura burrice" (é sério. Confira no TechHive). Ela disse, literalmente, que "você não pode pegar oito motores de cortadores de grama, juntá-los e então afirmar que tem uma Ferrari de oito cilindros" e completa com "quando você não consegue desenvolver um produto capaz de atender às expectativas, talvez veja este como o momento para adicionar mais núcleos…esta é uma maneira estúpida de fazer as coisas e creio que os nossos engenheiros não são estúpidos”.

Qualcomm

Bonito, não? A MediaTek respondeu com um simples "Nós não fazemos coisas estúpidas". Bem, é difícil dizer quem está certo aqui, mas a MediaTek realmente precisa mostrar que 8 núcleos realmente farão diferença para o usuário. Se foi somente um golpe de marketing, a empresa realmente está colocando a sua reputação em risco se não conseguir mostrar que está certa. De qualquer forma, certamente vai ter muito engenheiro fazendo hora extra depois dessa discussão.

Aliás, puro golpe de marketing? Talvez, mas há algo que pouca gente considerou (talvez nem a própria MediaTek): por que não utilizá-lo em servidores? Veja bem, como qualquer chip RISC, ele não terá a mesma potência de um processador x86 convencional, mas considerando o consumo elétrico, o que vale mais? Processadores de servidores consomem facilmente cerca de 120 watts ou mais e isso resulta em quantos MediaTek de 8 núcleos? 50, 60, talvez? Será que 480 núcleos não fariam o bom trabalho em um pararelismo violento? Isso é algo que deve ser considerado também.

E você, usuário? Acha que 8 núcleos é "pura burrice" ou que a MediaTek realmente tem chances de se sair bem nessa história toda? Conte para nós nos comentários!

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.