Impressão 3D pode se popularizar em 2014 graças à liberação de algumas patentes

Por Redação | 23 de Julho de 2013 às 09h20
photo_camera Thinker Thing

Existe algo que realmente atrasa a evolução da tecnologia de impressão em terceira dimensão: patentes. Mas, em fevereiro de 2014, algumas patentes-chave que impedem a concorrência no mercado de impressoras 3D vão expirar.

Essas patentes cobrem uma tecnologia conhecida como "sinterização a laser", a tecnologia de impressão 3D com menor custo, de acordo com o Quartz. Devido à alta resolução em todas as três dimensões, a sinterização a laser pode produzir objetos capazes de serem vendidos como produtos acabados – algo que pode revolucionar a fabricação em inúmeras indústrias.

Uma vez que as patentes essenciais dessa tecnologia expirarem, podemos ver uma grande queda no preços dessas impressoras. Atualmente, muitas das impressoras 3D de baixo custo que funcionam com uma tecnologia diferente são fabricadas na China, graças às patentes expiradas da principal forma de impressão 3D, a FDM. Há cinco anos, uma máquina FDM custava US$ 14 mil, e agora é possível encontrar modelos por até US$ 300.

No entanto, a sinterização a laser é capaz de produzir produtos com acabamento muito melhor do que a FDM, e sua popularização poderia trazer produtos com mais qualidade, em maior quantidade e, potencialmente, muito mais rápido. Em suma, a liberação dessas patentes pode ser um passo importante no sentido da popularização da customização em massa que nos foi prometida com o lançamento da tecnologia de impressão 3D.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.