Fabricante russa lança celular com duas telas, sendo uma de e-ink

Por Redação | 05.12.2013 às 15:23 - atualizado em 05.12.2013 às 16:24

Após certo destaque na imprensa e muita discussão sobre a viabilidade de um celular desse tipo, a Yota finalmente lançou no mercado europeu seu smartphone com tela e-ink. O YotaPhone chegou às lojas da Rússia e outros países da Europa nesta semana e custa € 499, aproximadamente R$ 1.615.

Fazendo as vezes de telefone e leitor digital, o aparelho conta com duas telas. A frontal é uma LCD Gorilla Glass com 720p de resolução e 4,3 polegadas. O outro display tem a mesma dimensão e fica localizado na parte traseira, conferindo um aspecto levemente inclinado para o celular.

Confira as configurações completas do YotaPhone:

  • Sistema operacional: Android Jelly Bean 4.2.2
  • Tamanho: 13,3 x 6,7 x 9,9 cm
  • Peso: 146 g
  • Tela principal: 4,3 polegadas, resolução 720 x 1280 LCD
  • Tela traseira: 4,3 polegadas, resolução 360 x 640
  • Câmera: 13 megapixels (traseira), grava vídeos em 1080p a 30 quadros por segundo; 1 megapixel (frontal)
  • Memória embutida: 32 GB eMMC
  • Processador: Snapdragon S4 Pro Dual Core 1.7 GHz
  • Memória RAM: 2 GB
  • Conexões: Wi-Fi, Bluetooth

De um lado para o outro

YotaPhone

Ao utilizar o YotaPhone, o usuário tem a possibilidade de passar conteúdos de uma tela para outra. Enquanto a principal é usada para a maioria das funções, a traseira pode se tornar específica para leitura. A ação é feita por meio de um botão no canto superior direito dos aplicativos com suporte à função e outras utilizações do tipo são explicadas em um tutorial de fácil acesso, exibido mandatoriamente assim que o aparelho é ligado pela primeira vez.

Um detalhe interessante é que a tela de tinta digital fica ligada durante todo o tempo, mesmo quando o celular não está sendo usado. Mas não existe a preocupação com toques acidentais, uma vez que o display pode ser bloqueado ao gosto do usuário. A fabricante recomenda o uso como um calendário permanente, por meio do aplicativo do Google, ou como uma maneira de manter a agenda em dia e de fácil acesso.

Na opinião do Engadget, que realizou os primeiros testes com o aparelho, o design é interessante e a fabricante conseguiu fugir de problemas comuns, como a dissipação de calor que poderia interferir com a tela de tinta eletrônica. Além disso, o site elogiou a usabilidade, mas afirmou que é preciso um pouco de prática para realizar certas ações que, no YotaPhone, acontecem de maneiras diferentes do comum.

A fabricante Yota afirmou ainda que uma segunda geração de seu celular inaugural já está nos planos e chegará ao mercado em data ainda não divulgada. Mostrando-se satisfeita com os resultados, a companhia diz que a ideia agora é reduzir o preço e viabilizar o lançamento do YotaPhone além do mercado europeu.