Exoesqueleto vem para ajudar na recuperação de pessoas com dificuldades motoras

Por Redação | 02.04.2015 às 15:30

Os exoesqueletos robóticos não são nenhuma novidade na ficção. Já vimos vários filmes e jogos que mostram essas estruturas sendo usadas para otimizar o desempenho humano de diferentes formas, mas sempre como algo futurista e bem longe de ser tornar realidade. No entanto, pode ser que a vida imite a arte bem antes do que muita gente pensa e de uma maneira bem mais simples — e útil.

Pesquisadores da Universidade do Estado da Carolina do Norte e da Carnegie Mellon criaram um modelo dessas estruturas para ajudar na recuperação de pessoas que, por alguma razão, perderam a capacidade de andar e estão em processo de reabilitação. Mais leve e barato que os demais equipamentos existentes, o exoesqueleto não depende de baterias e nem nada do tipo para funcionar e ainda é 7% mais eficiente que sapatos normais.

A ideia de fazê-lo inteiramente mecânico veio exatamente da própria musculatura humana. Baseando-se em nosso tendão de Aquiles, panturrilha e tornozelo, ele dá ao indivíduo um pequeno impulso quando o pé está no chão e inicia o movimento do passo. Isso faz com que a pessoa precise de menos energia para se mover e isso se reverte em uma ajuda e tanto no processo de recuperação, já que a pessoa se desgasta menos.

É claro que tudo ainda está em processo inicial de desenvolvimento e os pesquisadores das duas instituições precisam solucionar alguns pequenos problemas no projeto. Um deles é que esse embalo só acontece quando o pé está no nível do chão e na velocidade média de uma caminhada. Para isso, eles estudam a possibilidade de adicionar componentes eletrônicos para compensar essas deficiências e tornar o exoesqueleto ainda mais versátil.

Além disso, eles esperam poder firmar parcerias com empresas do setor esportivo para transformar a peça em acessório para algumas modalidades de esportes, como o esqui.

Via: Engadget