Dispositivos móveis representam menos de 10% do tráfego online brasileiro

Por Redação | 19.12.2013 às 14:53

A penetração de smartphones e tablets no mercado brasileiro apresenta números cada vez mais altos todos os anos, frutos de preços mais baixos e de um maior interesse por parte dos consumidores. O mesmo, porém, não pode ser dito do tráfego online oriundo desse tipo de aparelho, com o Brasil dividindo com a Argentina o título de país com o menor percentual de acesso à internet por dispositivos móveis.

Segundo dados da eMarketer, apenas 7,9% de toda a audiência da internet brasileira ao longo de 2013 teve aparelhos mobile como origem. Essa fatia é dividida em 5,8% para os smartphones e 2% para os tablets, com outros aparelhos – como câmeras, por exemplo – representando os 0,1% restantes.

Seja devido ao alto preço dos planos de internet móvel ou à baixa velocidade ou confiabilidade deles, o PC continua soberano quando o assunto é o uso da internet. Cerca de 92,1% dos brasileiros que possuem acesso à rede usam computadores ou notebooks, uma realidade exatamente igual à da Argentina. Por lá, apenas a divisão entre os móveis é diferente, com 6,2% de smartphones e 1,6% para os tablets.

O México foi o país mais bem colocado da América Latina, contando com mais de 15% de acesso móvel. A fatia dos dispositivos também é maior, com celulares representando 10,6% e tablets com 3,6%.

Padrão europeu

A eMarketer, porém, enxerga os números com otimismo. Segundo ela, o Reino Unido, um dos países com maior tráfego móvel do mundo, apresentava resultados semelhantes no início de 2012. Hoje, o país europeu conta com mais de 32% de usuários de internet acessando a rede por smartphones ou tablets, resultado do incentivo governamental e de pacotes diferenciados por parte das operadoras.

Lançamentos como o do Firefox OS e uma redução cada vez maior nos preços dos aparelhos foram fatores que motivaram o crescimento do mercado inglês. E, como já sabe quem acompanha o noticiário com frequência, também são fatores que estão cada vez mais presentes por aqui.

A estimativa é que o México continue sendo o líder na América Latina, chegando a 45% de acessos móveis ao final de 2014. O Brasil deve cair para terceiro lugar, com 26,8%, ficando atrás da Argentina, que promete crescer e chegar a 35%. Em número de aparelhos, porém, o nosso país deve assumir a liderança, com um mercado de mais de 39,9 milhões de smartphones.