Bose AE2: um fone de ouvido praticamente igual ao OE2, mas bem mais confortável

Por Pedro Cipoli

À primeira vista, o AE2 é basicamente uma versão maior do OE2 da Bose, o que acaba numa mudança de "over-the-ear" para "around the ear", para sermos mais exatos. São dois formatos de headphones com dois públicos-alvo diferentes, mas que trazem diferenças sutis de qualidade de som, no caso desses dois modelos. O OE2 é para aqueles que querem um fone para qualquer ocasião, de sentar na frente do computador até escutar músicas enquanto anda de metrô, algo que não poderia ser feito com o AE2 (até poderia, mas seria bem estranho).

Como dissemos em nossa análise do OE2, quando falamos de som de fones de ouvido, marca importa, e raros são os usuários que estão insatisfeitos em pagar caro em modelos de Bose, Monster ou Sennheiser. No caso do AE2 em especial, a qualidade de som é um pouco superior à do OE2, mas não muito. Tivemos a oportunidade de comparar um com o outro em nossa mesa de testes, de forma que observamos essa diferença, mas não sabemos se ela seria visível se testássemos ambos com um mês de diferença entre um e outro.

Porém, a diferença fica por conta do conforto de uso. O OE2 não é desconfortável nas primeiras horas, mas pode facilmente cansar os ouvidos depois de algum tempo. O AE2, por outro lado, nos pareceu uma opção melhor para quem costuma ficar horas a fio na frente do computador escutando músicas. As espumas se ajustam perfeitamente aos mais variados tipos de "formatos de cabeça", e apesar do tamanho sugerir que ele é consideravelmente mais pesado, ele tem somente 140 gramas.

Ao compararmos a qualidade de som entre um e outro, as diferença fica por conta dos médios, que são ligeiramente mais pronunciados no AE2. Os agudos são bons, mas exatamente iguais aos do OE2, e ambos compartilham uma característica que pode ser um problema para muito usuários: não são capazes de reforçar os graves. Frequências mais baixas de som não são somente ouvidas, mas sentidas, e essa é uma característica que falha em ambos os modelos.

Notícia ruim, certo? Afinal, pagar uma nota em um fone que não reproduz graves como deveria é uma falha grave, correto? Bom, depende muito do estulo de música que o usuário prefere. Gêneros como músicas eletrônica, Trance, House e semalhantes são bem fracos no AE2, em compensação, virtualmente, qualquer outro estilo se sai muito bem, em especial Rock e Metal. Pudemos diferenciar os instrumentos tocados como se fossem frequências de onda individuais, de forma mais pronunciada do que no OE2.

Como é comum em fones da Bose, o AE2 vem com uma capa para transporte, algo essencial em nossa opinião. As articulações nos pareceram bastante resistentes, mas não ao ponto de nos deixar seguros em um uma briga por espaço dentro de uma mochila com livros e cadernos. Ela também lembra uma bolsa de CDs como no OE2, ou seja, não ocupa um espaço tão grande assim dentro da mochila.

Conclusão

Está na hora de falar do preço, um ponto que dá até uma pontada de dor no coração. O preço médio do AE2 é pouca coisa maior do que o do OE2 (que já é alto): R$ 699. É um valor alto, claro, e que entrega uma qualidade de áudio proporcionalmente superior ao do OE2, e que vale o investimento para o caso que mencionamos, que é escutar músicas por horas a fio com conforto e qualidade, mas ainda assim é um valor alto o suficiente para que somente audiófilos racionalizem a compra.

Esse modelo é indicado para quem faz questão de escutar músicas MP3 de 256 ou 320 kbps, ou mesmo FLAC, já que somente nessas qualidades ele mostra seu diferencial em relação a modelos mais baratos. Boa parte do preço é o "custo Bose", algo importante de mencionar, mas raros são os modelos de altíssima qualidade que não trazem boa parte do custo como marca.

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.