Bateria externa Sony: recarrega qualquer smartphone (mas custa caro)

Por Pedro Cipoli
photo_camera Pedro Cipoli/Canaltech

Baterias externas não as coqueluxes de 2013. Não somos historiadores, cientistas sociais nem nada, mas aparentemente o que aconteceu foi que este ano as pessoas perceberam que os smartphones ainda estão longe de ter uma autonomia de bateria apreciável. Alguns mal chegam a durar um dia fora da tomada, e melhorar essa marca não parece uma prioridade dos fabricantes.

Prioridade hoje é entupir os smartphones com processadores desnecessariamente rápidos, sugando a força vital das baterias e acrescentando pouco para a experiência de uso. Entre uma performance que não precisamos contra uma autonomia que detestamos, acreditamos que esse segundo item deveria ser mais importante. Enfim, essas são apenas opiniões. Vamos às informações referentes ao título desta matéria, que o trouxe até aqui.

A bateria da Sony é o primeiro modelo com capacidade de 5000 mAh que testamos, o que é muito bom para qualquer smartphone, mas não é capaz de lidar com tablets de 8 polegadas ou mais. Ela possui construção em metal, bordas em plástico branco e um visual parecido com um smartphone mal dimensionado, sendo basicamente do tamanho de um Galaxy S4 um pouco mais gordo.

Em nossos testes, ela foi perfeitamente capaz de carregar um iPhone 5 (1440 mAh) duas vezes e meia, ou um Galaxy S4 (2600 mAh) uma vez e meia, praticamente não esquentando. Mesmo os smartphones com baterias maiores, de 3000 mAh, podem ser carregados uma vez e meia, mas nada de tentar carregar um iPad Air (8820 mAh) ou um Galaxy Tab 10.1 (6800 mAh), já que estes contam com baterias que passam facilmente dos 5000 mAh de capacidade.

Em compensação, os tablets entre 7 e 8 polegadas (menos do que isso é um smartphone que não faz ligações, não importa o que os fabricantes digam), podem ser recarregados por ela. Geralmente, modelos desse tamanho contam com baterias de 4000 mAh, caso do Galaxy Tab 3 (4000 mAh) ou Nexus 7 modelo 2013 (3950 mAh), em especial modelos de baixo custo, que possuem baterias de 3000 mAh ou ainda menores.

Os diferenciais desse modelo da Sony? Apenas dois: a saída para carregamento (somente uma) suporta correntes deaté 1,5 A a 5 Volts, carregando alguns modelos (como o Galaxy S4) mais rapidamente. Outro é que, teoricamente, a tecnologia CycleEnergy da Sony, a mesma utilizada nas pilhas, suporta mais ciclos de recarga e transporta energia mais rapidamente. Dizemos teoricamente, pois não pudemos confirmar se isso é verdade ou não nas poucas semanas que ficamos com a bateria.

Conclusão

Em geral, os produtos da Sony trazem os mesmos recursos de outros concorrentes (exatamente os mesmos), mas com um custo mais alto. Vamos chamar isso de custo Sony. Ainda que nesse caso esse valor não seja tão alto como o de um PlayStation 4, acreditamos que os R$ 259,00 não estejam tão fora da realidade. É uma bateria externa, no final das contas, não tendo como justificar um custo muito maior.

A vantagem é que, apesar do preço mais alto, a Sony é uma marca que não peca pela falta de qualidade. Ainda que comprar modelos com capacidade maior pareça um bom negócio, observar a marca do fabricante é um fator importante. Já imaginou ver seu smartphone explodindo só porque você decidiu economizar alguns trocados?

Vantagens

  • Adequada a qualquer modelos de smartphone;
  • Carrega a maioria dos tablets de 7 a 8 polegadas;
  • Estrutura de alumínio.

Desvantagens

  • Ainda que por pouco, seu preço é mais alto do que modelos concorrentes;
  • A embalagem só vem com um cabo micro USB, o que obriga usuários de iPhone a utilizar seus próprios cabos.