Análise: Placa-mãe ASUS H97-PRO

Por Pedro Cipoli
photo_camera BRUNO HYPOLITO

Vamos conhecer a H97-PRO da ASUS, uma placa-mãe com preço relativamente acessível pelos recursos que oferece e que traz suporte para a quarta geração de processadores Intel Core, conhecida como Haswell, ou os modelos novos que utilizam a mesma arquitetura, conhecidos como Haswell Refresh, além de suportar a 5 geração Broadwell, que ainda não foi lançada. É uma placa-mãe e tanto pelo preço médio encontrado no mercado, e vamos citar aqui os pontos que nos chamaram mais a atenção.

Chipset H97 vs Z97

Antes de analisar a placa-mãe em si, é legal entender a diferença entre o chipset H97 e o Z97. Ambos são da série 9 de chipsets da Intel, provavelmente os últimos que serão lançados antes da geração Broadwell chegar oficialmente ao mercado, mas essa simples mudança em uma letra altera duas características importantes entre um e outro, segmentando a forma como elas serão utilizadas. Em primeiro lugar, o chipset H97 não prevê a possibilidade de alterar o multiplicador de clock, o que limita bastante a forma como o overclock é executado.

Isso não significa que não seja possível realizar overclock, mas sim que é mais complexo. Para fazer isso, é necessário alterar a frequência de operação, geralmente 100 MHz, até o valor desejado respeitando as condições de refrigeração do processador. O problema é que ele é executado em cascata, ou seja, aumentar de 100 MHz para 105 MHz altera também outras frequências, como as da memória RAM, que são bastante sensíveis, e dos gráficos integrados. Ou seja, a possibilidade de gerar instabilidades é bastante alta.

Não entendemos o motivo de a Intel travar o multiplicador no chipset da linha H, já que faz com que a compra de um processador destravado (os que possuem um "K" no final) seja muito menos atraente. Há também uma segunda mudança importante: a presença de somente um slot PICe Express 16x, o que faz com que a adição de uma segunda placa de vídeo via SLI ou CrossFire tenha benefícios muito pequenos. Juntando esses dois fatos temos uma boa pista da configuração recomendada para a H97-PRO da ASUS: configurações intermediárias com apenas uma placa de vídeo, o que não chega a ser tão limitante para a maioria dos usuários, já que é bastante raro ver duas placas de vídeo e processadores overclockados ao extremo no dia a dia.

Conectividade

Começando pelo painel traseiro, temos 6 portas USB, sendo duas no padrão 2.0 e 4 no padrão 3.0, um combo PS2 para teclados e mouse mais antigos, uma porta RJ-45 10/100/100, 6 saídas de som do tipo P2, uma saída de vídeo analógica VGA (D-SUB), uma saída de vídeo DVI-D e uma HDMI, esta suportando resoluções até 2160p (4K). No interior da placa temos suporte para mais 6 portas USB no padrão 2.0 e um par de portas USB 3.0, além do áudio frontal.

Há 4 slots de memória DDR3 limitados a dois canais, suportando o XMP da Intel mas limitado a frequências de 1600 MHz, o que é estranho, já que memórias com 2000 MHz ouu mais se tornaram relativamente comuns atualmente. É possível instalar até 32 GB sem suporte a ECC, geralmente reservado a servidores e workstations, ou Buffer.

Nos slots de expansão temos uma PCE Express 3.0/2.0 16x e outra que também é 16x, mas funciona a 4x, duas PCI Express 1x, geralmente utilizadas para periféricos como placas de som mais avançadas, além de 3 slots PCI. É estranho vermos tantos slots PCI em uma placa-mãe em 2014, já que atualmente é raro encontrar placas novas que funcionem com essa conexão.

As conexões de energia incluem a entrada de 24 pinos e outra de 8 pinos para o processador, o que teoricamente é capaz de fornecer um bom nível de overclock, exceto pelo fato que descrevemos no começo do artigo. Um ponto de que gostamos na H97-PRO é o suporte a novos tipos de armazenamento, como uma porta SATA Express e outra M2, ambas relativamente novas no mercado e ainda contando com poucos dispositivos, mas que possuem uma garantia de futuro bacana, além de, claro, 4 portas SATA III, além das 2 do SATA Express.

Os RAIDs suportados são o 0, 1, 5 e 10, além das tecnologias da Intel, como Smart Response Technology (ISRT), Rapid Start Technology (IRST) e Smart Connect Technology (ISCT), que dependem do tipo de configuração de armazenamento que o usuário pretende fazer.

E o que a ASUS oferece de diferente?

Além das novas formas de conectividade, o que a ASUS faz de diferente que não está previsto no chipset Intel H97? Em primeiro lugar temos o que a ASUS chama de ASUS 5X, uma combinação de características que garantem uma boa longevidade para a placa-mãe:

  • DIGI+ VRM de 6 fases: garante uma estabilidade maior de corrente durante o funcionamento da H97 PRO, algo que já tivemos a oportunidade de testar em vários modelos de placas de vídeo da empresa;
  • DRAM Overcurrent Protection: não deixa uma tensão maior do que o recomendado queimar os módulos de memória RAM;
  • ESD Guards: proteção antiestática extra;
  • Capacitores sólidos onde a placa-mãe esquenta mais, como a região do processador e do slot PCI Express 16x;
  • Espelho traseiro de metal.

Temos também um conjunto de características da ASUS que fazem com que o usuário tenha muito mais controle sobre todo o hardware. Por exemplo, temos o Fan Xpert 3, que permite um ajuste mais fino na velocidade do fan do cooler de CPU e dos que estão no gabinete controlados pela placa-mãe (são 3 de quatro pinos no total), o que junto com o EPU fazem com que o usuário não só economize energia durante o uso, como também gere menos e calor e ruído sem perda de desempenho.

Em relação à BIOS, temos três recursos bacanas: UEFI BIOS EZ Mode, que facilita bastante as configurações para os marinheiros de primeira viagem, o CrashFree BIOS 3, algo essencial para quem já danificou uma BIOS em algum momento da vida, e o EZ Flash 2, para atualizar a BIOS. E sabe aquele processo chato de ficar espetando os fios de controle do gabinete na placa-mãe? Para isso temos o Q conector, que fica entre a placa-mãe e esses fios para ajudar a achá-los, além de identificar claramente qual conector é o que (PW, SW, etc).

Extra bacana: áudio de qualidade

Raros são os desktops que possuem um áudio de qualidade por padrão. Alguns usuários até mesmo compram placas de áudio externas para melhorar a experiência, já que, geralmente, as portas P2 do desktop simplesmente "funcionam". A ASUS fez um bom trabalho com a H97-PRO nesse quesito, uma solução que ela chama de Crystal Sound 2, não só separando as trilhas pela placa-mãe, evitando possíveis interferências, como também colocando um amplificador, o que, em nossos testes, representou um ganho de qualidade perceptível.

Não, não é um sistema capaz de agradar audiófilos e puristas, algo que vale a pena destacar, mas o suficiente para uma excelente experiência no dia a dia e até mesmo em jogos. É possível, inclusive, utilizar as conexões de áudio da H97-PRO em um sistema 7.1, algo muito bom não somente para entretimento em filmes, mas também em jogos, para uma experiência mais realista.

Conclusão: para quem é a H97-PRO?

Encontramos a H97-PRO da ASUS com um preço médio de R$ 550, valor consideravelmente acessível não somente pelos recursos presentes nessa MOBO, mas também "por ser uma ASUS". Placas-mãe da ASUS geralmente custam mais do que modelos concorrentes com recursos semelhantes, já que a empresa tem uma excelente fama no segmento, então esse preço é uma agradável surpresa para quem está pensando em montar um PC. Por experiência própria, placas-mãe da ASUS raramente dão problemas, sobrevivendo anos a fio mesmo em condições extremas de funcionamento.

Recebemos o modelo para testes com um Intel Core i7-4770K, mas acreditamos que seja processador demais para ela, em especial pelo multiplicador de clock travado. Uma configuração ideal para ela seria um Core i5 quad-core e uma NVIDIA GTX 770 com 8 ou 16 GB de memória RAM, que vemos como compatível com a proposta do chipset, além de garantir um bom nível de desempenho em praticamente qualquer situação.

Combinando essa configuração com um SSD como disco primário, o resultado seria um PC rápido para qualquer ocasião, e acreditamos que esse seja o perfil de máquina que o usuário deve esperar com a H97-PRO. Quem busca um PC relativamente acessível, com suporte para tecnologias mais novas, como o M2 e o SATA Express, além de contar com uma boa capacidade de expansão, ela é um excelente ponto de partida.

Vantagens

  • Custo relativamente acessível pelos recursos que oferece;
  • Controladores de tensão extras que garantem uma boa durabilidade;
  • Suporte a novas tecnologias de armazenamento;
  • Boa capacidade de expansão.

Desvantagens

  • Multiplicador de clock travado;
  • Suporte para memórias RAM de no máximo 1600 MHz;
  • Somente um PCI Express 16x, com um segundo 4x.