Alcatel M'Pop: quem disse que um smartphone básico precisa ser feio?

Por Pedro Cipoli

Enquanto você lê esse texto, acontece uma competição frenética entre os maiores fabricantes de smartphones do mundo. Uma competição em que todos eles querem lançar o aparelho mais bonito, mais rápido e mais recheado de extras, todos com processadores quad-core, tela Full HD e câmeras de pelo menos 10 megapixels. Em meio a esse turbilhão de megahertz, multicore e megapixels, temos o M'Pop da Alcatel, que estranhamente foge à regra e quer conquistar o usuário pela simplicidade.

Design: Simples, mas ligeiramente elegante

Quem disse que um smartphone básico precisa ser necessariamente feio? Em geral é o que acontece, sendo que modelos que custam menos de R$ 700 não são exímias obras de arte, por assim dizer. Esse é um ponto de que gostamos no M'Pop: ele é sim bastante básico, mas não passa a sensação de ser barato, como em geral grandes fabricantes fazem com seus modelos mais simples. Também não é muito sofisticado, claro, mas pelo menos não dá vergonha de tirá-lo do bolso.

Screenshot - Alcatel One Touch M'Pop 01

Screenshot - Alcatel One Touch M'Pop 02

Screenshot - Alcatel One Touch M'Pop 02

A tela de 4 polegadas LCD tem uma resolução média de 480x800, o suficiente para que sua densidade de pixels de cerca de 240 pontos por polegada seja agradável aos olhos. Não há botões na parte da frente, apenas um vidro que preenche todo o espaço e botões virtuais, algo que gostamos e segue o modelo da linha Nexus. Com 4 polegadas, ele encaixa perfeitamente em uma das mãos, sendo possível manipulá-lo com apenas uma delas, além da ótima ergonomia proporcionada pela superfície emborrachada da parte traseira, tudo isso com o confortável peso de 135 gramas.

Especificações

Sendo bastante críticos, podemos dizer que já passamos da época em que o Android rodava bem em processadores single-core. Ainda que quatro núcleos sejam um exagero em muitas situações, dois são o mínimo aceitável para uma experiência sem lags, isso mesmo em modelos mais básicos. Considerando isso, ficamos bastante decepcionados com o processador de 1 GHz e 512 MB de memória RAM do M'Pop, pois mesmo que muitos usuários consigam conviver com essas specs, podem ter certeza: ele não durará muito, considerando o avanço no nível de sofisticação dos apps da Play Store.

Screenshot - Alcatel One Touch M'Pop 03

Screenshot - Alcatel One Touch M'Pop 04

Screenshot - Alcatel One Touch M'Pop 04

A GPU PowerVR SGX 531 ainda é capaz de lidar com alguns jogos mais básicos, como Angry Birds (as primeiras versões não-HD), Cut the Rope (não-HD), Candy Crush e assim por diante, mas tenha em mente que games como Asphalt (7 ou 8), Dead Trigger e Need For Speed não rodarão nem na resolução padrão da tela, assim como alguns apps mais sofisticados e exigentes nas transições 3D apresentarão alguns travamentos.

A memória interna de 4 GB (dos quais cerca de 2 GB ficam disponíveis para o usuário) é basicamente o que esperávamos de um modelo básico, sendo o suficiente para instalar alguns aplicativos e armazenar dados em cache, mas quem usa o smartphone para escutar músicas, armazenar vídeos e costuma tirar muitas fotos é bom considerar a comprar de um cartão microSD externo de maior capacidade (suporte para até 32 GB), já que ele vem com um de apenas 2 GB incluído na embalagem.

Câmera

Teste de câmera - Alcatel One Touch M'Pop 01

Neste quesito tivemos uma agradável surpresa. Ao contrário do que é regra em muitos modelos básicos, a câmera do M'Pop é perfeitamente capaz de atender até a alguns usuários um pouco mais exigentes em fotos casuais. A traseira conta com 5 megapixels e se saiu bastante bem, considerando a faixa de preço do modelo, além de ser capaz de gravar em 720p.

Teste de câmera - Alcatel One Touch M'Pop 02

Não há estabilização de imagem, algo presente somente em modelos high-end, mas as gravações ficaram até razoáveis. Também não há flash, o que é uma pena, já que o sensor da câmera traseira não se sai bem em situações de baixa luz. Em alguns modelos mais avançados, flash é algo opcional, já que o sensor se encarrega do trabalho.

Teste de câmera - Alcatel One Touch Fire 01

A câmera frontal é de míseros 0,3 megapixels. Lembra do antigo Razr V3 da Motorola? É basicamente a mesma câmera, não atendendo ao usuário em aplicativos VoIP ou mesmo em fotos, apresentando um alto nível de granulação mesmo com uma boa iluminação ambiente.

Teste de câmera - Alcatel One Touch M'Pop 04

Extras

Um ponto que chama a atenção do M'Pop é o seu suporte a dois chips, com apenas um deles funcionado em modo 3G. Ele conta com bluetooth 4.0, rádio FM com RDS (recurso essencial para um modelo básico se sair bem no Brasil), Wi-Fi Direct e GPS com A-GPS (que funciona com uma boa precisão, mas sobrecarrega a GPU facilmente durante o uso).

O Android de fábrica é o 4.1 Jelly Bean, o que traz pelo menos o Google Now por padrão. A diferença entre a versão 4.1 e as seguintes é, em muitas situações, incremental, de forma que não entendemos a escolha desta versão, em vez da 4.2 ou 4.3, já que o sistema dificilmente será atualizado, como regra de qualquer modelo básico. A embalagem inclui o já mencionado cartãoSD, uma bateria de 1400 mAh, suficiente para um dia com os dois chips ativos, fones de ouvido bastante básicos, carregador de parede e cabo micro USB.

Conclusão

Pelo preço sugerido de R$ 569, o M'Pop da Alcatel vale o seu dinheiro? Estamos falando de um modelo básico que dificilmente agradará a um power user, mas que está de acordo com os seus recursos e traz o acabamento superior e qualidade da câmera como seus maiores trunfos. Estes dois quesitos, sozinhos, fazem dele uma opção que vale a pena considerar nessa faixa de preço, e, claro, uma boa escolha para quem estiver disposto a ter um modelo com specs básicas que rapidamente apresentarão gargalos.

Vantagens

  • Custo-benefício dentro do esperado;
  • Câmera de excelente qualidade, considerando a sua faixa de preço;
  • Visual bonito e bem acabado, aparentando ser um modelo intermediário.

Desvantagens

  • Single-core de 1 GHz? Já passamos dessa época;
  • Bateria pequena, apresentando baixa autonomia quando os dois chips estiverem conectados;
  • Câmera sem flash.