68% de todos os celulares “piratas” são clones da Samsung ou Xiaomi

Por Redação | 09 de Julho de 2015 às 13h42

Basta uma andadinha pelo centro de qualquer cidade para perceber a esmagadora quantidade de aparelhos piratas disponíveis no mercado. Os equipamentos que tentam copiar o design de modelos consagrados, mas estão longe de entregar as mesmas funções de suas “inspirações”, estão amplamente disponíveis. E, de acordo com a AnTuTu, 68% de toda essa indústria é movida por cópias de smartphones da Samsung e da Xiaomi.

Em todo o ecossistema Android, 2,08% dos aparelhos são falsificados, ou seja, não são lançados por fabricantes reconhecidas ou certificadas. A divisão entre as duas companhias citadas é de 37,3% para a marca coreana e 30,96% para a chinesa, que reside na mesma nação que muitos dos bucaneiros. Em terceiro lugar vem a Huawei, com 3,79%, e em quarto a HTC, com 2,88%.

O aparelho mais pirateado é o Xiaomi Mi Note, com 31,82% de clones em operação. Na sequência vem o Xiaomi Redmi Note (12%), o Xiaomi Mi3 (9,3%), o Samsung Galaxy Note 3 (8,82%) e, por fim, o Galaxy Note 4, com 7,01%. Apesar das telas gigantes disponíveis na maioria dos modelos citados, 28,78% deles contam com resolução de 1280 x 720 pixels, com o aspecto FullHD aparecendo apenas em segundo lugar, com 21,9%. Chama atenção, ainda, os 10,5% de dispositivos com displays de 960 x 540 pixels, além de 7,89% ainda com 800 x 480.

Chama a atenção, porém, a ausência da Apple nesta lista. Os HiPhones, clones de um dos principais aparelhos da Maçã, tiveram seu momento de inundar as lojas, utilizando versões do Android com alterações para simular o iOS. Isso as tornava ainda piores em qualidade que as outras versões pirateadas, o que pode ter contribuído para esse sumiço do ranking.

Além disso, de acordo com a AnTuTu, o total de pouco mais de 2% ainda é considerado alto, mas vem caindo com o passar dos anos. Isso se deve, principalmente, à chegada de produtos cada vez mais baratos ao mercado e às campanhas antifraude realizadas pelas próprias fabricantes, que acabam desincentivando a compra de cópias piratas pela noção de que é possível obter qualidade muito melhor, com preços semelhantes, adquirindo produtos oficiais.

Fontes: AnTuTu, Phone Arena

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.