10 dispositivos vestíveis que se destacaram em 2015

Por Joyce Macedo | 03.12.2015 às 10:29

Apesar do Google Glass ter acendido o interesse público por tecnologias vestíveis (wearables), os verdadeiros precursores deste tipo de dispositivo foram os smartwaches. Alguns modelos mais modestos de relógio inteligentes foram lançados nos anos 1980, quando eram chamados de "computadores relógios".

Agora, os dispositivos vestíveis estão começando a enfrentar um crescimento tremendo na indústria. Alguns especialistas acreditam que os wearables são a próxima fase da revolução dos mobiles e, de acordo com as previsões da CSS Insight, as vendas deste tipo de gadget devem saltar de 29 milhões de unidades em 2014 para 172 milhões em 2018, com o maior pico ocorrendo em 2015.

Pulseiras fitness, smartwatches, headsets de realidade virtual, pedômetros; todos estes dispositivos fazem parte do cenário emergente da tecnologia vestível que promete mudar a forma como monitoramos nossa saúde, exercícios físicos e também como nos comunicamos. Ao que tudo indica, depois de muitas tentativas, parece que finalmente a indústria está começando a se mover na direção certa para criar gadgets realmente interessantes e acessíveis.

Com o final do ano se aproximando, preparamos uma lista com 10 dispositivos wearable que se destacaram em 2015; confira:

1. Apple Watch

Apple Watch

Lançado no mercado norte-americano no primeiro semestre deste ano, o relógio inteligente da Apple foi um dos produtos mais aguardados pelo mercado de tecnologia nos últimos anos. Anunciado pela Maçã como o produto "mais pessoal" já criado pela empresa, o gadget chegou cheio de recursos, que incluem chamadas, músicas, e-mails, mensagens, notificações, Siri e aplicativos diversos. O relógio também possui diversos sensores e recursos voltados para a saúde e prática de esportes.

O Apple Watch merece destaque por ser muito bem construído, com um design muito elegante, e por possui uma variedade de recursos; basta levanta o braço para ler ou enviar uma mensagem, visualizar fotos, entre outras tarefas. Os controles também são feitos por meio de tela de toque e dois botões nas laterais, sendo que um deles funciona como uma coroa de um relógio tradicional.

As funcionalidades do gadget também melhoraram após o lançamento do watchOS 2. A nova versão do sistema operacional trouxe uma série de melhorias, incluindo novas opções de mostradores, aplicativos mais rápidos e avançados, novas opções de comunicação, maior nível de personalização do gadget e maior abertura para desenvolvedores de aplicativos.

As vendas do Apple Watch no Brasil começaram em outubro e o sistema operacional já está disponível em português. O aparelho pode ser comprado por preços que partem dos R$ 2.899. A variedade de opções de design também é uma vantagem: por aqui, os usuários podem escolher entre 12 modelos diferentes do gadget – ao todo, são 38 modelos disponíveis ao redor do mundo.

2. LG Watch Urbane

LG WATCH URBANE

Com um acabamento que ajuda a justificar o preço cobrado pelo dispositivo – cerca de R$ 1.200 no Brasil – o LG Watch Urbane é um smartwatch que se parece muito com um relógio tradicional e traz um design clássico de aço inox com pulseira de couro.

O gadget utiliza o sistema operacional Android Wear, traz sensor de batimentos cardíacos e é resistente a água e poeira (certificação IP67). Você também pode contar seus passos e ter uma estimativa de calorias queimadas para acompanhar melhor sua rotina de exercícios, com metas e progresso diário, semanal e mensal.

Os recursos incluem gestos de pulso, tela com exibição automática, pesquisas por voz, conversões em texto e notificações. Já as funcionalidades extras, como disparo de câmera, ligações, curtir fotos no Facebook, entre outras, dependem dos apps que você utiliza em seu aparelho. O LG Watch Urbane é compatível com smartphones Android de qualquer marca, acima da versão 4.3, e iPhones com iOS 8.2 ou superior.

3. Fitbit Charge HR

Fitbit Charge HR

A Fitbit Charge HR é uma pulseira fitness que chegou ao mercado para acrescentar recursos de rastreamento para uma fitband que já estava consolidada no mercado, entre outros pontos, devido ao seu preço.

Ela usa o monitoramento contínuo da frequência cardíaca para oferecer um feedback sobre suas atividades e queima calórica mais preciso do que seus concorrentes. Além disso, ela está disponível em três tamanhos diferentes, que se adaptam a diferentes tipos de pulso. A tela OLED mostra as estatísticas diárias do usuário, bem como a identificação de chamadas recebidas em smartphones compatíveis

A Charge HR é indicada para quem não procura um smartwatch mais completo, com GPS, por exemplo. Com uma bateria que promete durar até cinco dias, esta fitband também é eficaz no monitoramento automático do sono e custa US$ 149,95. Infelizmente, a Fitbit Charge HR ainda não está disponível no Brasil.

4. Jawbone UP3

Jawbone UP3

A terceira versão da pulseira Jawbone UP foi turbinada e, seguindo a tendência do mercado, ganhou um sensor para monitoramento cardíaco. Somado aos recursos já existentes anteriormente, a Jawbone UP3 se mostra um excelente monitor de atividades físicas, além de oferecer um recurso de monitoramento do sono muito interessante. Um aplicativo completo e alta duração da bateria também contam pontos a favor desta fitband.

A Jawbone UP3 foi construída sobre uma plataforma multissensor avançada, que inclui um acelerômetro de três eixos recém-projetado, sensores de bioimpedância, bem como sensores de pele e da temperatura ambiente. O monitoramento da freqüência cardíaca é feito por meio de um sensor dedicado baseado em LED, diferente do Apple Watch, que possui um sensor óptico. A pulseira custa US$ 180 e também ainda não chegou oficialmente ao Brasil.

5. Pebble Time Round

Pebble Time Round

Considerado o primeiro smartwatch moderno, este ano o Pebble ganhou uma nova versão dois anos após o lançamento do relógio original. Agora, há cerca de dois meses, a empresa lançou o chamado Pebble Time Round, um relógio mais fino, mais leve e com um design circular que se assemelha aos relógios convencionais.

A largura do aparelho é de apenas 7,5 milímetros e o peso é de apenas 28 gramas. Compatível com qualquer smartphone que rode Android ou iOS, o Pebble Time Round chegou às lojas norte-americanas em novembro e já está sendo vendido na loja online oficial da Pebble por US$ 249,99 e com frete grátis para o Brasil. Ele deverá concorrer diretamente com o Moto 360, o LG Urbane e o Apple Watch.

6. Huawei Watch

Huawei Watch

Após alguns tropeços no mercado de wearables, a Huawei parece ter acertado a mão com o lançamento do Huawei Watch. Com design elegante, construído em metal e excelente acabamento, um dos destaques deste relógio é o seu display.

Feito em cristal de safira, que protege o gadget de riscos, o visor de 1.4 polegada, 400x400 e com 286ppi é o melhor disponível atualmente no mercado quando o assunto é Android Wear. O processamento fica por conta de um Qualcomm Snapdragon 400 de 1.2 GHz, 512 de RAM e 4G para armazenar música, fotografias e aplicativos.

O Huawei Watch foi considerado um ótimo smartwatch em diversos reviews. O gadget já está disponível em alguns países – Brasil ainda está de fora da lista – por valores que variam entre US$ 349 e US$ 799.

7. Sony Smartwatch 3

SONY SMARTWATCH 3

Este smartwatch faz inveja aos seus concorrenets devido à sua conectividade GPS embutida, o que significa que você pode deixar o seu smartphone em casa quando sair para dar uma corrida, por exemplo. O estilo mais esportivo torna este gadget perfeito para quem gosta de praticar esportes ao ar livre aos fins de semana.

Embora seja a terceira geração do aparelho, este é o primeiro smartwatch da Sony a utilizar o sistema Android Wear. Isto significa que é possível usá-lo para realizar pesquisas rápidas, busca por localização, além de responder SMS e até mesmo conversas de WhatsApp.

As especificações contam com um processador Quad ARM A7 de 1,2 GHz e memória RAM de 512 MB. A memória interna é de 4 GB, a bateria de 420 mAh e a tela de 1,6 polegada com painel de LCD. No Brasil, o smartwatch da Sony está disponível apenas na versão com a pulseira de couro preta e custa R$ 999.

8. Garmin Vivoactive

Garmin Vivoactive

Este dispositivo é uma espécie de hibrido entre fitband e smartwatch e se apresenta como "pau para toda obra". A Garmin é conhecida pela sua linha Forerunner, mas, diferente das ofertas anteriores da empresa, este gadget não se contenta apenas com rastreamento de corridas, caminhadas e braçadas na piscina; ele quer monitorar todo o seu dia, além de oferecer notificações do seu smartphone e rastreamento do sono.

O display LED é colorido e usa a luz ambiente, o que significa que ele funciona melhor sob a luz do sol. Com uma tela de 1,38 polegadas e resolução de 205 x 148 pixels, o Garmin Vivoactive possui uma bateria que promete durar até três semanas. Com funções de GPS e monitoramento cardíaco, ele está habilitado para funcionar em atividades como caminhada, corrida, ciclismo e natação – pode ser utilizado em até 50 metros de profundidade.

Todas as informações obtidas pelo dispositivo podem ser sincronizadas com seu smartphone para melhor aproveitá-las. No Brasil, o gadget pode ser encontrado em diversas lojas esportivas online, com preços variando entre R$ 1.200 e R$ 1.800.

9. Samsung Gear S2

Gear S2

Dessa vez, parece que a Samsung finalmente acertou no lançamento de um smartwatch. Com display de 1,2 polegada e tela circular de 360 x 360 Super AMOLED, o Gear S2 tem um tamanho bem mais proporcional do que seus antecessores, que mais pareciam vindos diretamente dos anos 80.

Em vez do Android Wear, o sistema operacional deste relógio é o Tizen, desenvolvido pela própria Samsung, que funciona bem em parceria com dispositivos com Android 4.4 ou superior. Com recursos básicos de outros smartwatches, ele traz funções como NFC, Bluetooth, notificações do celular, monitoramento de saúde, entre outros. No Brasil, o Gear S2 vai custar entre R$ 1.899 e R$ 2.099, de acordo com o modelo escolhido pelo consumidor.

10. Mi Band Pulse

Xiaomi Mi Band 1S

Anunciada pela Xiaomi há menos de um mês, a nova pulseira fitness da empresa chinesa merece um lugar nesta lista. Apesar de estar longe de ser perfeita e não possuir alguns recursos presentes em outras fitbands citadas anteriormente, a primeira versão da pulseira inteligente já vendeu mais de 6 milhões de unidades em todo o mundo, uma informação muito relevante para o setor de wearables.

Assim como sua antecessora, a segunda versão da pulseira, a chamada Mi Band Pulse (também conhecida como Mi Band 1S), não conta com uma tela, o que significa que os usuários terão de utilizar um aplicativo no smartphone para configurá-la e receber os dados gerados. Ela é compatível com iOS e Android.

A grande diferença entre os dois modelos é o esperado monitor de atividades cardíacas, ausente no primeiro. Outros recursos incluem informação de queima calórica e vibração para alertá-lo que uma nova notificação foi enviada em seu smartphone.

Mas o principal atrativo da Mi Band ainda é o preço. Por enquanto, a única versão da Mi Band disponível no Brasil é a primeira, que pode ser comprada por R$ 95 no site da Xiaomi. Com o lançamento da Pulse, a Mi Band original custará apenas US$ 11 nos Estados Unidos, enquanto a nova versão fica por US$ 15.

Bônus: TAG Heuer Connected

TAG Heuer

Este dispositivo recém-lançado não é um smartwatch para entusiastas de tecnologia. É um relógio para os fãs da marca TAG Heuer ou fãs de acessórios de luxo que procuram algo um pouco diferente.

No entanto, apesar do grande diferencial ser o luxuoso design da peça fabricada pela empresa suíça que produz relógios de pulso há 155 anos, o interior do smatwatch chamado "Connected" traz algumas surpresas. A principal delas fica por conta do processador Intel Atom. No entanto, quem quiser pagar por este wearable de luxo precisa desembolsar nada menos que US$ 1.500.

Oculus Rift

A maior constatação desta lista é que o mercado de dispositivos vestíveis ainda é largamente dominado por smartwatches e pulseiras fitness. Parte disto pode ser atribuído ao congelamento do projeto Google Glass, que apesar de aparentemente estar fluindo nos bastidores do gigante da web, nunca mais deu às caras para os consumidores finais.

Já os óculos de realidade virtual devem começar a aparecer na lista de 2016, uma vez que o lançamento do esperado Oculus Rift ficou para o início do próximo ano. Outro dispositivo que vai estar no páreo, o Playstation VR, da Sony (antigo Project Morpheus), também deve chegar às lojas apenas em 2016. Já o Samsung Gear VR entrou em pré-venda por US$ 99 há alguns dias, mas ele ainda é muito restrito para ser considerado relevante – o headset é compatível apenas com modelos de smartphones recentes da Samsung.