Dicas para se proteger das falhas de segurança do Flash

Por Douglas Ciriaco

Recentemente, a Symantec publicou um relatório no qual alertava a todos sobre uma nova falha de segurança do Flash, um dos plugins mais utilizados na web atualmente. Vulnerabilidade do tipo dia zero, ela pode deixar os computadores expostos a infecção por malwares, que instalam programas sem a permissão do usuário, gerando, assim, consequências bastante incômodas.

Enquanto o problema não é resolvido (e caso o plugin volte a passar por uma situação deste tipo), o mais importante é ficar atento para não ter grandes complicações com isso. Apesar do Brasil não estar na lista dos maiores alvos explorados pela vulnerabilidade, um pouco de precaução não faz mal a ninguém.

Nós listamos aqui algumas dicas simples, mas que podem ser cruciais para manter a segurança do seu PC (e, consequentemente, dos seus dados) em dia. Vamos a elas!

Solução trágica: remova o Flash do seu computador

É certo afirmar que a web depende cada vez menos do Flash — o que vem se mostrando uma decisão acertada por uma série de motivos, como estabilidade, velocidade e segurança —, então é possível afirmar também que você pode passar muito bem sem este software instalado em sua máquina.

É lógico que muitos sites ainda usam essa tecnologia para rodar algum tipo de conteúdo, como vídeos, mas o YouTube, por exemplo, já vem substituindo o Flash por uma tecnologia muito mais apropriada, o HTML5. De qualquer forma, se você remover o Flash da sua máquina, mas se deparar com um conteúdo que demanda o plugin instalado, basta acessar tal conteúdo por meio de um tablet ou smartphone.

Nas plataformas móveis, os sites e serviços da web usam alternativas ao Flash, então você não estará exposto a qualquer risco que possa alcançar sua máquina por meio das brechas de segurança contidas nele.

Flash só quando você quiser

A segunda opção, menos trágica, mas igualmente segura, é desativar a reprodução automática de qualquer conteúdo em Flash no seu navegador. Todos os browsers da atualidade contam com esse recurso e basta acessar as configurações dele para fazer isso. Depois, sempre que você acessar um conteúdo em Flash, terá que clicar sobre ele para ativar o plugin manualmente.

Firefox

Para desativar a reprodução automática de plugins no Firefox, digite about:config na barra de endereços e então procure por plugins.click_to_play. Quando o resultado aparecer, clique com o botão direito do mouse e depois em “Inverter valor”. Agora, reinicie o Firefox para que a alteração entre em vigor.

Plugin Firefox

Chrome

No Chrome, basta acessar as configurações do navegador e procurar pela seção “Configurações de conteúdo”. Clique sobre o botão que leva este nome e, na seção “Plug-ins”, marque a caixa “Clique para reproduzir”.

Plugin Chrome

Internet Explorer

Clique no botão de configurações do Internet Explorer (aquele em formato de uma roda dentada) e então vá em “Gerenciar Complementos”. Na nova janela que se abriu, clique sobre a opção “Barras de ferramentas e extensões”, encontre a entrada “Shockwave Flash Object” e, por fim, clique em “Mais informações”.

Plugin IE

Na nova janela, clique em “Remover todos os sites” e, feito isso, sempre que você acessar uma página com conteúdo em Flash, o navegador vai perguntar se você deseja reproduzi-lo ou não.

Plugin IE

Mantenha tudo sempre atualizado

Manter os programas sempre atualizados é uma das melhores maneiras de estar pronto para combater ameaças virtuais. Nem sempre isso é o suficiente, mas é importante ativar a atualização automática dos softwares, ou ter o hábito de verificar constantemente se você está com a versão mais recente dos principais aplicativos.

Assim sendo, ter a última versão do navegador e do Adobe Flash instaladas em sua máquina se torna um pré-requisito básico para continuar navegando na internet. A Adobe mantém uma página na qual você verifica a versão do plugin instalada em sua máquina e qual é a mais recente — a função indica dados dos navegadores no Windows, Mac, Linux ou Solaris. Clique aqui para acessar e ver se você está em dia.

Use o Chrome ou o Opera

Para evitar problemas com o plugin, o Chrome e o Opera passaram a vir com ele embutido. Assim, o usuário instala o Flash apenas para o navegador e não precisa se preocupar com esse extra. Isso não deixa tudo apenas mais prático, mas também mais seguro, pois cria uma barreira a mais para qualquer malware.

Faça download do Chrome

Faça download do Opera

Faça download do Chromium

Isso ocorre devido à API utilizada pela Google, pioneira em embutir o Flash no navegador. Essa dica pode incluir ainda o Chromium, navegador no qual tanto o Chrome quanto o Opera são baseados.

Usar um navegador exclusivo para Flash

Ter mais de um navegador instalado no computador não é algo tão incomum assim, então outra dica é usar um deles especificamente para realizar tarefas que demandem o funcionamento do Flash. Como o Opera, o Chrome e o Chromium possuem características especiais que os tornam menos vulneráveis, o ideal seria instalar um desses três para essa função específica.

Assim, você desinstala o Flash de sua máquina, mas continua usufruindo de todos os serviços que ainda precisam desta tecnologia - e tudo sem afrouxar a sua segurança.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.