O chamado Black Shark 5 deve ser anunciado nos próximos meses, sendo sucessor direto do Black Shark 4S e Black Shark 4S Pro de 2021, e trazendo algumas melhorias no quesito de especificações técnicas. Ao que parece, porém, ele pode ser o último lançado sob a tutela da Xiaomi, pois a gigante do ramo de jogos Tencent pode estar interessada na marca, visando uma futura entrada no Metaverso.

No ano passado, a empresa revelou no final de março a linha Black Shark 4, enquanto os 4S foram apresentados em outubro. Por isso, de acordo com a janela de lançamentos, é esperado que o suposto Black Shark 5 chegue em algum momento no primeiro semestre. O leaker Digital Chat Station diz que devem ser dois novos aparelhos, com os codinomes "Katyusha" e "Patriot", sendo que o primeiro deve ter número de modelo KTUS-A0.

Black Shark 5 será sucessor do Black Shark 4S, contando com Snapdragon 8 Gen 1 (Imagem: Divulgação/Xiaomi)

Ele ainda diz que o smartphone trará melhorias em três pontos, que são maior bateria, sistema mais recente e novo chipset. Nesse caso, o Black Shark 5 deve ter bateria de 4.600 mAh com suporte a carregamento rápido de 100 watts. Seu sistema operacional deve ser o Android 12, executando sob a interface JoyUI, contando ainda com o processador Snapdragon 8 Gen 1 apresentado pela Qualcomm em dezembro passado.

Tencent pode comprar a Black Shark

Além disso, o site 36kr aponta que a gigante do ramo dos jogos Tencent, parceira da Black Shark em seus smartphones, pode acabar adquirindo a marca, visando expandir seus negócios.

Aparentemente, a ideia é continuar com os celulares, mas também desenvolver produtos e tecnologias baseadas em realidade virtual. Assim, o hardware ficaria a cargo da Black Shark, enquanto o sistema chegaria por meio da Tencent. Para isso, ela teria que se tornar a acionista majoritária da Black Shark no lugar da Xiaomi, que atualmente detém 46,4% da empresa.

É compreensível esse movimento, visto que com o anúncio do Metaverso, uma série de companhias começaram a se preparar para investir na categoria, como, por exemplo, a Motorola, que pode revelar em breve seu primeiro óculos de realidade aumentada. Até o momento, porém, as marcas não se manifestaram oficialmente sobre o possível acordo.