A Samsung não está feliz com as últimas informações divulgadas sobre a linha Galaxy S22. Por meio do Twitter, o fundador do portal LetsGoDigital Mark Peters mostrou que a companhia bloqueou uma postagem com a suposta imagem oficial do Galaxy S22 Ultra, por conta da reivindicação de direitos autorais.

Samsung Electronics is not very happy with us publishing an official image of the Galaxy S22 Series.

A copyright claim is put on the image. It has been deleted by Twitter.

Twitter also blocked the @letsgodigitalNL account. Luckily we have been able to restore that... for now.. pic.twitter.com/NtVrUr8SRZ

— LetsGoDigital - Mark Peters (@letsgodigitalNL) December 29, 2021

Além disso, a conta de Peters também chegou a ser bloqueada, mas a decisão foi revertida rapidamente. Outros usuários reportaram que ações semelhantes foram feitas em seus perfis, a partir do momento em que foram mostradas imagens de diversos aparelhos que ainda não foram apresentados de forma oficial pela marca.

De qualquer forma, outros tweets com várias renderizações que mostram como pode ficar o visual de diversas versões da linha Galaxy S22 permanecem no ar, e nunca foram alvo de reprimendas por parte da Samsung.

Galaxy S22 Ultra teve possível visual vazado pelo LetsGoDigital, entre outras fontes (Imagem: LetsGoDigital)

Os bloqueios servem também para indicar que as imagens provavelmente representam o visual final do flagship da marca. Portanto, o Galaxy S22 Ultra deverá vir com visual bastante diferente em comparação com o seu antecessor, em especial por conta das quinas mais retas e conjunto de câmeras "solto" na tampa traseira, em vez de ficarem agrupadas dentro de um módulo.

Líderes de mercado contra os vazamentos

O CEO da Apple Tim Cook divulgou um memorando em que condena os vazamentos. O documento foi vazado (Imagem: Stephen Lam/Reuters)

A partir da metade deste ano, a Samsung já começou a derrubar algumas publicações que vazavam informações sobre os seus próximos dispositivos. No mês de julho, alguns vídeos do canal no YouTube do portal GizNext foram retirados do ar, e leakers como Evan Blass cogitaram deletar postagens anteriores — porém, as ações da marca sul-coreana foram limitadas aos informantes iniciais, e não a portais que replicam o conteúdo.

Entretanto, a notícia que mais chamou a atenção nesse tópico durante o ano foi relacionada ao memorando escrito pelo CEO da Apple Tim Cook, em que o executivo afirma estar "fazendo todo o possível" para identificar leakers. A mensagem também explicita que "funcionários internos que soltem informações confidenciais não pertencem à Apple", em uma tentativa de evitar a divulgação antecipada dos próximos produtos — não parece ter funcionado muito bem, já que o próprio aviso foi descoberto por meio de vazamentos.

Outra que vem tomando ações para tentar conter os vazamentos é a Xiaomi, que chegou a enviar e-mails ameaçadores a responsáveis por vazar alguns de seus lançamentos recentes, o que mostra que essa pode ser uma política cada vez mais comum dentre as maiores empresas de tecnologia.