O Google estaria preparando terreno para a estreia dos primeiros Chromebooks gamers — ou, pelo menos, notebooks com teclado RGB. Um novo recurso experimental do Chrome OS permite habilitar a iluminação colorida de “dispositivos suportados”.

A adição é tão misteriosa quanto à ideia de existir um “Chromebook gamer”, que conflita com o conceito original desse tipo de notebook — leves, mais acessíveis e úteis para tarefas básicas do dia a dia. As máquinas que rodam o Chrome OS são geralmente equipadas com processadores de entrada, armazenamento bastante limitado e sem placa dedicada para demanda gráfica, já que o objetivo da plataforma é se basear em recursos da web, como o navegador.

Chromebooks normalmente são baratos, acessíveis e com desempenho suficiente apenas para tarefas básicas do dia a dia (Imagem: Divulgação/Acer)

Sequer existe uma versão do Steam para Chrome OS, então a jogatina tradicional não parece ser o plano. O Google poderia estar vislumbrando esse segmento por meio de plataformas de streaming, em plataformas como Stadia, Nvidia GeForce Now e Xbox Cloud Gaming.

O recurso experimental é identificado como #enable-rgb-keyboard e foi encontrado no Chromium Gerrit, o repositório de código de atualizações do Google. Segundo o site 9to5Google, a função permitiria customizar cada tecla com uma cor específica, mas somente desenvolvedores do Chrome OS poderiam experimentar as funções por comandos.

Embora pareça ser um recurso para suporte de periféricos (como teclado e mouse), há indícios de que a novidade esteja em preparação para dispositivos ainda não lançados. Reforçando, mais uma vez, que o Chromebooks voltados para games estão em desenvolvimento.

Quais seriam os novos Chromebooks gamers?

Por enquanto, não há anúncios oficiais sobre os notebook com Chrome OS focados em jogos. Contudo, o site 9to5Google encontrou codinomes e indícios que parecem se referir a dispositivos equipados com processadores Intel Alder Lake, de 12ª geração — um da Lenovo e outro da HP.

Além disso, entradas também mencionam um terceiro dispositivo, um teclado removível, e não um Chromebook. O conceito lembra bastante periféricos vendidos para notebooks com Windows.

Contudo, apesar das pistas, nada parece se referir às datas de lançamento. Por agora, resta aguardar e espiar o que o Google desenvolve para o sistema operacional da casa.