Antes o carro mais barato do Brasil, o Fiat Mobi já começa a custar mais do que o ideal e logo vamos perdendo todos os carros "populares" do mercado. Em um remanejamento feito pela montadora italiana, o subcompacto perdeu sua versão de entrada "Easy", que custava R$ 57 mil, e agora é vendido somente em duas variantes: Like, por R$ 59.190; e Trekking, que sai por a partir de R$ 62.290.

A versão Easy era extremamente básica e já não era mais tão procurada pelos clientes. Para que o leitor tenha uma ideia, nem mesmo o "kit dignidade" era oferecido de série, ou seja, o carrinho sequer tinha ar-condicionado, algo que já acontece na versão Like, que dispõe de alguns itens a mais — além de opcionais.

Mesmo com as mudanças exigidas pela fase L7 do Proconve (Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores), as versões restantes do Mobi seguem equipadas com o antigo (e competente) motor 1.0 Fire Evo de 75cv e 9,9 kgf/m de torque quando abastecido com etanol.

O Fiat Mobi vende mais que seu maior rival, o Renault Kwid, mas agora está bem mais caro (Imagem: Divulgação/Fiat)

Com todos os opcionais inclusos, como pintura metálica, central multimídia com Android Auto e Apple CarPlay sem fio, ajuste de altura dos bancos e volante, o Fiat Mobi Like sai por R$ 63.690, enquanto o Mobi Trekking, que tem acabamento diferenciado e maior altura do solo, fica R$ 66.290.

Com a retirada do Mobi Easy da gama de produtos, a Fiat inicia 2022 com seis veículos saindo de linha, escancarando a nova estratégia e reposicionamento da marca. São eles:

  1. Fiat Mobi Easy
  2. Fiat Uno
  3. Fiat Doblò
  4. Fiat Grand Siena
  5. Fiat Argo 1.8
  6. Fiat Cronos 1.8