A China deu mais um passo importante para a construção de sua futura Estação Espacial Chinesa (CSS) na última semana, ao lançar o módulo central da futura base científica do país, que será tripulada por seus taikonautas, ou astronautas chineses. Lançado pelo foguete Long March 5B, o módulo Tianhe foi colocado em uma órbita de 370 km acima da superfície terrestre — é a parte central de um dos mais ambiciosos projetos já realizados pela agência espacial chinesa, que é sua terceira estação espacial. Enquanto isso, a agência oferece uma alternativa para qualquer um de nós conhecer a CSS inteira por dentro.

Planejada para operar na órbita terrestre baixa — entre 340 a 450 km de altitude —, a Estação Espacial Chinesa será construída ao longo de dez missões sucessivas, dentre elas quatro serão tripuladas. A montagem deve levar mais de um ano e a agência espacial chinesa pretende ter a base já em funcionamento em 2022. Estima-se um tempo de vida para a CSS de 10 a 15 anos. É importante lembrar que a Estação Espacial Internacional (ISS) ultrapassa os 20 anos em operação e já apresenta sinais de desgaste — acredita-se que ela será desativada em 2025.

O módulo central Tianhe, lançado na última quinta-feira (29) tem cerca de 16,6 metros de comprimento, com 4,2 metros de diâmetro — este será o espaço em que os taikonautas irão morar e também onde estará a central de controle da estação. Ao contrário da ISS, a CSS não pretende se tornar um local de trabalho internacional, mas a China não se fecha para futuras colaborações — inclusive, no início deste mês o país fechou um acordo com a Rússia para a construção de uma estação de pesquisa na Lua. Ambos os países convidaram outras nações para participar deste trabalho, por sinal.

(Imagem: Captura de Tela/CMS/3D Chinese Space Station)

Enquanto China segue a todo vapor com a construção da estação chinesa, você pode mergulhar em uma experiência por dentro da futura unidade espacial totalmente montada, através do modelo em 3D desenvolvido pela agência espacial chinesa. Na plataforma, com acesso inteiramente gratuito, você pode passear por todas as seis unidades da estação, sendo que o programa roda tranquilamente tanto no computador quanto no celular.

(Imagem: Captura de Tela/CMS/3D Chinese Space Station)

Também é possível executar algumas configurações aproveitando o passeio da melhor maneira possível. Por exemplo, você pode mudar a perspectiva de apresentação, através da aplicação de efeitos como olho de peixe ou bola de cristal. A plataforma ainda oferece uma experiência de Realidade Virtual (VR) — com equipamentos compatíveis —, o que pode proporcionar um passeio mais “real” por dentro dos espaços da estação.

(Imagem: Captura de Tela/CMS/3D Chinese Space Station)

A CSS Virtual revela muitos detalhes da estrutura interior da estação, mas também apresenta informações através de galerias com diversos registros da Terra feitas a partir do espaço — e, claro, belas imagens astronômicas do Sistema Solar e do espaço profundo.

Para experimentar a versão 3D/VR da Estação Espacial Chinesa, basta clicar aqui.