Quando o Governo Federal anunciou, em 2020, o Auxílio Emergencial como benefício às famílias afetadas pela crise do novo coronavírus (SARS-CoV2), os criminosos cibernéticos não perderam tempo. Foram identificados, na época, centenas de aplicativos maliciosos que se passavam pelo software oficial usado para solicitar o benefício, além de sites fraudulentos com formulários projetados para roubar dados pessoais.

Agora, foi aprovada a renovação do programa para 2021 e, como já poderíamos esperar, os meliantes digitais estão novamente agindo para lesar os internautas desatentos. Em um vídeo de pouco mais de dois minutos, o delegado Dr. Da Cunha — famoso por ter se tornado um “influenciador digital” ao manter um perfil no Instagram com mais de 1,3 milhão de seguidores — alerta para um app falso publicado na Play Store, do Google.

‘É impressionante como as pessoas são oportunistas. Em um período deste de pandemia, muita gente solidária, ajudando, nós da delegacia tentando ajudar o máximo, ainda assim temos os oportunistas”, inicia Cunha, que integra o Corpo Especial de Repressão ao Crime Organizado (CERCO) da 8ª Seccional da Polícia Civil de São Paulo. Em seguida, ele exibe o falso app, batizado de “Auxílio Emergencial” e publicado por “Aplicativo Público”.

“E qual é o detalhe aqui? Eles vão pedir senha bancária. Nunca dê sua senha bancária para aplicativos. Você acabou de ser roubado, de ser vítima de estelionato”, complementa. Como exibido na sequência por Cunha, o aplicativo verdadeiro é batizado de “CAIXA | Auxílio Emergencial”, publicado pela “Caixa Econômica Federal”. “Este aplicativo vai pedir os dados de banco, agência, instituição financeira, mas não pede a senha”, conclui.

No momento em que esta reportagem foi escrita, o Canaltech procurou, mas não conseguiu encontrar o aplicativo malicioso citado por Cunha — é provável que o Google já tenha retirado o software do ar. Ainda assim, a recomendação de cautela segue válida, pois eventualmente novos apps falsos surgiram no marketplace.