A SpaceX foi escolhida para lançar o satélite de comunicação Jupiter-3, da norte-americana Hughes, com o foguete Falcon Heavy — o que deve acontecer no início de 2023. Com isto, a empresa de Elon Musk conquistará o recorde de satélite geoestacionário comercial mais pesado já lançado à órbita.

Até então, esta carga útil seria lançada com um Falcon 9, mas o satélite em questão ficou mais pesado que o programado, exigindo um lançador mais potente.

Em março deste ano, a Hughes revelou ter selecionado a SpaceX para enviar seu satélite ao espaço. O Jupiter-3, desenvolvido pela Maxar, seria lançado ainda no quarto trimestre deste ano, mas uma série de atrasos jogou o lançamento para, no mínimo, início do ano que vem.

The @EchoStar /@HughesNet EchoStar 24/Jupiter 3 Ka-band broadband sat, whose launch w/ @SpaceX has slipped to early 2023, will weigh 9,200 kg at launch, according to prime contractor @Maxar. Stunning. pic.twitter.com/ig4uEGYGhA

— Peter B. de Selding (@pbdes) May 11, 2022

Segundo a fabricante Maxar, o satélite geoestacionário, também conhecido como Echostar 24, deve atingir um peso de 9,2 toneladas métricas quando for finalmente lançado. Com uma carga tão pesada como esta, logo ficou claro que não seria mais o Falcon 9 o responsável por colocá-la em órbita.

Inicialmente, o Jupiter-3 teria um peso seco (sem contar com os combustíveis) de 5,8 toneladas. Em julho de 2018, a SpaceX quebrou o recorde de lançamento de satélite geoestacionário comercial mais pesado usando um Falcon 9 — que levou ao espaço o Telstar 19V, da Telesat, com 7 toneladas.

No entanto, o Falcon 9 entregou o satélite a uma órbita mais baixa do que a posição geoestacionária. Ou seja, Telstar 19V precisou manobrar para alcançar sua altitude operacional mais elevada. Grandes satélites geoestacionários, costumam ser lançados com um peso extra de 50 a 80% de sua massa seca em combustível.

Superando seu próprio recorde

Com 9,2 toneladas durante o lançamento, o Jupiter-3 ultrapassará em 30% o recorde mundial da SpaceX estabelecido em 2018. Este provavelmente será o satélite mais pesado a alcançar a órbita de transferência geoestacionária (GTO), de pouco mais de 35 mil km de altitude.

Por enquanto, o Falcon Heavy é o foguete mais potente da SpaceX (Imagem: Reprodução/Charles W Luzier/Reuters)

Além disso, o Jupiter-3 pode ter a maior massa seca já lançada a uma órbita GTO, o que também indica que o satélite será grande e poderoso — ele atuará como um centro de comunicações, fornecendo uma largura de banda máxima de até 500 gigabits por segundo.

O satélite é tão pesado que um foguete Falcon 9 conseguiria trasportá-lo apenas até a metade do caminho da órbita baixa da Terra (LEO). Por isto, a seleção do Falcon Heavy não pega ninguém de surpresa.

Vale destacar que a SpaceX quebrará o recorde de lançamento de um satélite geoestacionário comercial mais pesado e não a carga útil total mais pesada. Este último título pertence a Arianespace, que,em 2021 lançou um foguete Ariane 5 com uma carga de mais de 10 toneladas a uma órbtia GTO.

O Jupiter-3 é a 10ª missão programada para o Falcon Heavy até 2025. A longo prazo a SpaceX pretende substituí-lo pela dupla Starship e Super Heavy, que ainda estão em desenvolvimento