Veja a lista dos países que mais pirateiam software no mundo

Por Redação | 25 de Maio de 2016 às 18h14

A BSA, uma aliança que representa os interesses de algumas das maiores empresas de software do mundo, realizou uma pesquisa global em parceria com o IDC a respeito da pirataria de programas de computador. Com mais de 24 mil entrevistados, o estudo As Oportunidades Oferecidas pela Conformidade de Licenças engloba contextos de 110 países diferentes e foi realizado no ano passado, com o relatório final divulgado apenas neste ano.

No mundo todo, 39% de todos os programas instalados em computadores no ano passado não foram licenciados de forma correta. O número representa uma queda bastante pequena em relação aos 43% identificados no estudo anterior, de 2013. Tomando por base o preço das licenças dos softwares pirateados, a prática evitou a circulação de US$ 52,2 bilhões apenas no ano de 2015.

Em relação ao Brasil, o estudo identificou que 47% dos softwares instalados por aqui são piradas, também uma leve queda em relação ao estudo anterior, que identificava 50% dos programas como ilegais. “Apesar de leve, a queda é positiva para o Brasil, que teve a menor taxa de pirataria da América Latina, mas ainda há muito a ser feito”, comenta o gerente da BSA no Brasil, Antonio Eduardo Mendes da Silva, o Pitanga.

Perigos da pirataria de software

Alertas da BSA sobre a pirataria de software. (Foto: Reprodução/BSA)

Importância das empresas

Um ponto importante levantado na pesquisa é que não é incomum o uso de softwares piratas mesmo em setores mais críticos: estima-se que um quarto dos programas usados no setor bancário, de seguros e de valores mobiliários seja ilegal. Além disso, os diretores de informação das companhias pesquisas acreditam que 15% de seus funcionários instale programas na rede sem que a empresa fique sabendo. Contudo, o problema pode ser ainda maior, visto que 26% dos funcionários afirmaram instalar programas sem autorização na rede corporativa.

Por outro lado, a percepção que o público passa a ter de programas ilegais também vem mudando, o que pode contribuir para uma melhora neste panorama. Segundo o estudo da BSA, 60% dos funcionários reconhece que o uso de softwares licenciados de forma ilegal está associado a riscos de segurança, sendo este um bom motivo para adotar o uso de versões legítimas dos programas.

Confira a lista dos 10 países que mais piratearam software durante o ano passado:

1. Zimbábue – 90%
2. Líbia – 90%
3. Venezuela – 88%
4. Bangladesh – 86%
5. Armênia – 86%
6. Moldávia – 86%
7. Iraque – 85%
8. Belarus – 85%
9. Indonésia – 84%
10. Paquistão – 84%

Veja também a lista dos 10 países que menos piratearam software no mesmo período:

1. Estados Unidos – 17%
2. Nova Zelândia – 18%
3. Japão – 18%
4. Austrália – 20%
5. Áustria – 21%
6. Suécia – 21%
7. Dinamarca – 22%
8. Alemanha – 22%
9. Reino Unido – 22%
10. Noruega – 23%

Fonte: BSA

Fonte: Via: Tecnoblog

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.