Aliança de empresas de cinema e TV tenta fechar mais um app de streaming pirata

Por Felipe Demartini | 04 de Setembro de 2020 às 12h52
Reprodução/Felipe Demartini

Uma coalização que representa os interesses dos estúdios de cinema e televisão parece estar tentando fechar mais um serviço pirata de transmissão de canais por streaming. Nesta semana, pelo menos quatro membros do TVZion teriam recebido notificações judiciais para que interrompam as atividades da plataforma, removam perfis em redes sociais e transfiram os domínios utilizados para acesso ao controle de “proprietários de direitos autorais”.

Os documentos vistos pelo site Torrent Freak foram censurados para esconder os detalhes de quem os enviou e dos responsáveis pelo compartilhamento, mas o modo de ação se parece muito com o usado pela Aliança Pela Criatividade e Entretenimento (ACE, na sigla em inglês). O grupo foi aberto em 2017 e reúne mais de 30 empresas, como Netflix, Amazon, Disney, HBO, NBC Universal, Warner, Viacom CBS e diversas outras dos ramos do cinema, televisão e streaming. Nos tempos recentes, a coalização voltou seu foco para os serviços de streaming de TV, que ganharam corpo durante a pandemia do coronavírus.

O TVZion é mais um destes, com aplicativo para Android e algumas set-top boxes, com uma lista de centenas de canais de televisão, bem como filmes e séries sob demanda. A plataforma se apresenta como uma assinatura única que reúne todo o conteúdo das outras e chamou a atenção por disponibilizar métodos diferentes de acesso, com promoções para criadores de conteúdo que falarem da plataforma ou realizarem sorteios ligados a ela e acesso grátis para moderadores de fóruns e outros tipos de colaboração com o serviço.

A carta pedindo o fechamento do serviço é assinada por Jan van Voorn, diretor de produção de conteúdo da MPA, a associação das empresas de cinema dos EUA. O documento é do tipo “cesse e desista”, pedindo que o TVZion interrompa suas atividades de forma voluntária antes de sofrerem uma ação judicial, que estará a caminho caso a ordem não seja atendida em até 10 dias após o recebimento, ou seja, até o final da próxima semana.

TVZion chamava a atenção para sua interface ao estilo Netflix, que podia ser customizada ao gosto do usuário, e às ofertas especiais para moderadores e criadores de conteúdo (Imagem: Reprodução/Felipe Demartini)

O criador do TVZion deu a entender que não vai atender ao pedido, mas não nega que ele fez efeito. De acordo com ele, que preferiu não se identificar, moderadores e membros da equipe responsáveis pelo contato com criadores ou usuários começavam a “sumir”, enquanto até mesmo conteúdos já publicados por alguns donos de canais estavam sendo deletados do YouTube. Alguns estavam incomunicáveis, enquanto outros alegaram razões pessoais que os impedirão de realizar os trabalhos daqui em diante.

Por mais que ele queira acreditar se tratar de uma questão relacionada a cansaço ou a assuntos profissionais de fora da plataforma, fica claro o que está acontecendo. Entretanto, o criador deixa claro que o TVZion deve continuar funcionando, ainda que com uma equipe menor e alguma demora na resposta a pedidos de suporte ou solicitações por conta disso. Ele não comentou, porém, como lidará com um iminente processo que, se a plataforma continua, inevitavelmente virá.

A ACE não se pronunciou sobre o assunto nem confirmou ter sido a responsável pelo envio das cartas aos responsáveis pelo serviço. Em maio, um grande pedido de remoção tirou do ar duas grandes provedoras ilegais de IPTV, a DripTV e a T.KO TV, que deixaram de funcionar imediatamente após o pedido e tiveram seus domínios repassados aos detentores dos direitos autorais. A ideia, agora, é que o mesmo aconteça com o TVZion, ainda que as vias judiciais atrasem um pouco esse processo.

Fonte: TorrentFreak

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.