Brasil é segundo colocado em ranking de pirataria

Por Redação | 20.02.2015 às 11:58
photo_camera Café com Notícias

Um estudo da consultoria Tru Optik colocou o Brasil em segundo lugar no ranking global de pirataria, deixando para trás países conhecidos negativamente por esse aspecto, como China e Rússia, por exemplo. De acordo com a pesquisa, cerca de 1,16 bilhão de downloads ilegais foram registrados em nosso país durante todo o ano passado, com ações originadas a partir de 71,2 milhões de endereços IP.

O Brasil ficou atrás apenas dos Estados Unidos, que contou com 2,1 bilhões de downloads e tem 108,7 milhões de endereços ativos na prática irregular. Apesar disso, os americanos ficaram apenas em terceiro lugar quando se fala em “demanda não monetizada”, ou seja, a soma dos valores que seriam obtidos pela indústria caso os conteúdos baixados ilegalmente tivessem sido obtidos por meios legítimos.

Nesse quesito, quem "reina" absoluto é o Brasil. O país ficou em primeiro lugar na categoria, desbancando a China e acumulando um total de US$ 99,6 bilhões em arquivos baixados. O tipo de conteúdo mais comum por aqui são os softwares, com o Windows 8.1 sendo o mais pirateado pelos brasileiros, computando mais de 118,7 milhões de downloads ilegais. Em segundo lugar está o Internet Download Manager, ironicamente, e em terceiro, o Photoshop CS6.

O relatório ainda aponta que a AutoDesk teria sido a empresa mais atingida pela prática. Apesar de ter o Autocad, um de seus principais aplicativos, aparecendo apenas na oitava posição dos softwares mais baixados, o alto valor dos produtos a coloca como a maior “perdedora”, já que US$ 213 bilhões seriam obtidos em todo o mundo caso os downloads ilegais tivessem sido obtidos por meios legítimos. Isso se deve ao fato de que uma licença do produto custa mais de US$ 4 mil.

Confira a lista das dez empresas que mais perderam dinheiro por conta dos downloads ilegais:

  1. Autodesk: US$ 213,6 bilhões
  2. Adobe: US$ 164,2 bilhões
  3. Microsoft: US$ 105,7 bilhões
  4. IBM: US$ 33,1 bilhões
  5. Dassault Systems: US$ 23,2 bilhões
  6. Sony: US$ 18,8 bilhões
  7. Mathworks: US$ 9,2 bilhões
  8. MAXON: US$ 9 bilhões
  9. Elcomsoft: US$ 7,4 bilhões
  10. Ableton: US$ 7,1 bilhões

A Tru Optik afirma ter obtido os números por meio de informações das redes peer-to-peer, que conectam usuários por meio de torrent e outros programas do tipo, permitindo o download e compartilhamento de arquivos de um usuário para outro. Métodos proprietários foram usados para alcançar as métricas e a identidade dos usuários não foram reveladas pela prática, apenas os dados de download e o volume de dados que estava sendo trafegado na rede.

Confira a lista completa de países com maior número de downloads ilegais:

  1. EUA: 2,1 bilhões
  2. Brasil: 1,16 bilhão
  3. Índia: 1,08 bilhão
  4. Austrália: 1,02 bilhão
  5. Reino Unido: 939,9 milhões
  6. Canadá: 704,1 milhões
  7. Filipinas: 578 milhões
  8. Rússia: 531,3 milhões
  9. Paquistão: 430,3 milhões
  10. Itália: 381,5 milhões