Star Fox Zero é o game mais subestimado do Wii U, diz Shigeru Miyamoto

Por Redação | em 05.07.2016 às 11h23

Star Fox Zero

Sejamos francos: depois de anos de espera, o retorno de Fox McCloud e da série Star Fox em um console da Nintendo ficou bem abaixo do esperado. O game Star Fox Zero chegou ao Wii U no último dia 21 de abril e recebeu notas bem medianas e diversas críticas sobre sua qualidade e falta de variedade. Tanto que ele traz uma nota 69 no Metacritic, bem abaixo do que se esperava de uma das franquias mais inventivas da Big N. E, diante dessa recepção morna, o próprio criador do game veio a público comentar sobre o tema.

Em entrevista à revista Game Informer, o game designer Shigeru Miyamoto — também conhecido como o criador do Mario e da série The Legend of Zelda — falou um pouco sobre as críticas e o apelo mediano do game. Segundo ele, Star Fox Zero é o game mais subestimado do Wii U, já que a diversão proposta pela aventura espacial é algo que não recebeu a devida atenção do público, por mais que ele tivesse muito a oferecer para os jogadores.

Para Miyamoto, que trabalhou durante anos no conceito de Star Fox Zero e fez com que muita gente realmente se empolgasse com o projeto, o principal apelo do título é a diversão. Tanto que ele aponta que um estudante do primário se divertiria muito controlando as naves e avançando pelas diversas fases, assim como dois irmãos poderiam aproveitar muito bem o modo multiplayer proposto. No entanto, pelo que foi visto desde que o game foi lançado, isso não foi o suficiente para atrair a atenção dos consumidores e, parte dessa culpa, está na própria falta de ousadia do jogo, que se mantém bem abaixo da média de outros exclusivos da empresa.

Quem também deu seus pitacos sobre os títulos subestimados do Wii U foi o gerente de marketing de produtos da Nintendo, Bill Trinen. Para ele, não se trata do retorno de Fox McCloud, mas do excelente Pikmin 3, o qual ele descreve com o melhor modo multiplayer criado pela empresa desde Super Smash Bros. Tanto que ele aponta a aventura em miniatura como um de seus jogos favoritos dos últimos seis ou sete anos — e não sem razão.

Miyamoto complementa o discurso de Trinen dizendo que parte desse desinteresse do público com Pikmin é a falta de tempo. Para ele, o game precisa ser jogado umas três vezes para que você absorva tudo aquilo que ele tem a oferecer, mas as pessoas não têm mais tempo para isso, preferindo títulos em que elas possam passar de fase e seguir em frente. Tanto que ele conclui a conversa dizendo que videogames estão se tornando produtos de consumo e, por isso, fica cada vez mais difícil para esses jogadores se aprofundarem em um título e aproveitarem de verdade o que ele tem a oferecer.

Via: Game Informer

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome