Mark Zuckerberg e Jan Koum criticam segundo bloqueio do WhatsApp no Brasil

Por Redação | em 03.05.2016 às 20h34

Jan Koum e Mark Zuckerberg

Horas após o WhatsApp ter voltado a funcionar no Brasil, os principais executivos das empresas que controlam a ferramenta usaram suas redes sociais para se manifestar sobre o caso.

Em seu perfil no Facebook, o CEO da companhia, Mark Zuckerberg, comentou que o bloqueio do mensageiro no país vai contra a liberdade de comunicação e democracia dos milhões de brasileiros. "A ideia de que todos os brasileiros possam ter seu direito à liberdade de comunicação negado desta forma é muito assustadora em uma democracia", disse.

Zuckerberg também agradeceu os mais de 100 milhões de usuários da plataforma. "Vocês se expressaram e suas vozes foram ouvidas. Quero agradecer a nossa comunidade por nos ajudar a resolver essa situação", afirmou.

Ele ainda convocou os internautas para a recém-formada Frente Parlamentar pela Internet Livre, que vai promover nesta quarta-feira (4) um evento que, entre suas principais medidas, apresentará projetos de lei para evitar o bloqueio de serviços de internet - entre eles o WhatsApp.

"Se você é brasileiro e apoia o WhatsApp, eu quero incentivá-lo a expressar sua opinião. Compartilhe essa causa assinando a petição e comparecendo ao evento pessoalmente amanhã. O maior impacto que você pode causar é indo ao Congresso, às 18h, e também participando da discussão sobre a importância de conectar as pessoas. Os brasileiros estão entre os líderes na tarefa de conectar o mundo e criar uma internet aberta há muitos anos. Eu espero que vocês expressem sua opinião e exijam mudanças", concluiu.

Jan Koum, um dos criadores do WhatsApp, também publicou uma mensagem em seu perfil no Facebook comemorando o fim do bloqueio do aplicativo no Brasil. Além de agradecer aos usuários, Koum espera que essa seja a última vez que a ferramenta fique inacessível para os brasileiros.

"Felizmente, o WhatsApp agora está de volta online. Nos sentimos felizes pelo grande apoio de pessoas de todo o Brasil, e agradecemos sua paciência enquanto o processo legal se desenrolava. Nós não temos nenhuma intenção de comprometer a segurança das pessoas e esperamos que aqueles afetados por esta decisão se juntem a nós em manifestarem as suas vozes em apoio de uma internet aberta e segura. A última coisa que queremos é ver WhatsApp bloqueado novamente", disse.

Sobre o bloqueio

Esta é a segunda vez que o WhatsApp é proibido no Brasil em menos de um ano. O bloqueio aconteceu às 14h desta segunda-feira (2) por uma decisão do juiz Marcel Maia Montalvão, da Vara Criminal de Lagarto, em Sergipe, que ordenou que a ferramenta ficasse inacessível por 72 horas. As operadoras cumpriram a ordem judicial e bloquearam o acesso ao serviço.

Cerca de um dia depois, o WhatsApp conseguiu obter uma decisão favorável na Justiça de Sergipe, do desembargador Ricardo Múcio Santana de Abreu Lima, que autorizou o desbloqueio do aplicativo em todo o país. Na madrugada de ontem para hoje, a companhia já tinha entrado com um pedido, mas teve seu primeiro recurso negado pela Justiça de Sergipe.

Fontes: Mark Zuckerberg, Jan Koum

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome