Entenda como acontece o bloqueio do WhatsApp

Por Redação | em 03.05.2016 às 10h58

WhatsApp

As informações ainda são um pouco incertas, e para cada pessoa que diz ainda estar conseguindo usar o WhatsApp normalmente, existem tantas outras que estão com o aplicativo bloqueado. Após uma ordem judicial, o aplicativo de troca de mensagens entra em seu segundo dia de suspensão no Brasil e deve permanecer fora do ar por aqui até esta quinta-feira (05).

O bloqueio acontece por meio do endereço IP que o WhatsApp utiliza para se conectar ao servidor. Assim como nós, aplicativos e serviços online também dependem do protocolo para que possam fazer a conexão com a internet. As operadoras atuam nessa ligação, bloqueando o funcionamento do endereço do aplicativo e impossibilitando que ele se comunique com a infraestrutura localizada fora do país.

É por isso que o serviço está fora do ar tanto em redes móveis, como 3G ou 4G, quanto nos Wi-Fis residenciais. Tudo depende, claro, do recebimento de uma ordem judicial para suspensão, algo que não aconteceu em todos os casos. Sendo assim, enquanto operadoras como NET ou Vivo, por exemplo, suspenderam a utilização do WhatsApp, serviços menores, como a paranaense Copel, continuam com o aplicativo funcional para seus clientes de internet doméstica.

Para os casos em que o mensageiro deixou de funcionar em todas as redes, simular uma conexão de outro país pode ser uma opção, mas não das mais seguras. O bloqueio solicitado pela justiça abrange apenas o Brasil e, sendo assim, um usuário norte-americano, por exemplo, pode fazer uso normal do aplicativo para mandar e receber mensagens. E isso pode ser feito por qualquer um por meio de aplicativos de VPN (sigla em inglês para rede privada virtual), que mascaram a conexão e enganam servidores, ou através da mudança de endereços DNS, que realizam a mesma ação.

Apesar da descrição fazer parecer, o uso desse tipo de solução não é ilegal. Por outro lado, o uso indiscriminado de VPNs pode acabar abrindo brechas de segurança, permitindo que hackers tenham acesso a dados disponíveis no computador ou celular. O Canaltech publicou guias completos sobre essas soluções, que você pode conferir clicando aqui.

A suspensão do WhatsApp em todo o Brasil começou às 14h desta segunda-feira (02). De acordo com a ordem judicial, esse bloqueio deve permanecer ativo durante 72 horas e é uma represália à recusa da empresa que administra o aplicativo em auxiliar com uma investigação sobre tráfico de drogas. O juiz responsável, da cidade de Lagarto, no Sergipe, é o mesmo que, em março, solicitou a prisão do vice-presidente do Facebook para a América Latina, Diego Dzodan, pelo mesmo motivo.

Essa já é a segunda vez que o WhatsApp é suspenso no Brasil após não cooperar com as autoridades. Em dezembro, uma suspensão que deveria durar 48 horas se estendeu por cerca de 12 horas depois que empresas e operadoras entraram com um recurso aceito na justiça. Desta vez, entretanto, a história é diferente, e um recurso movido pelo próprio aplicativo foi negado por um tribunal de Sergipe na manhã desta terça (03), mantendo a suspensão ativa em todo o Brasil.

Com informações do UOL Tecnologia

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome