Não, o Twitter não vai deletar a conta de Donald Trump

Por Luciana Zaramela RSS | em 11.01.2017 às 00h33 - atualizado em 11.01.2017 às 00h45

Donald Trump

O Twitter se tornou o diário de Donald Trump. Para não falar todos os dias, digamos que o presidente eleito dos Estados Unidos usa a rede social com bastante frequência. Também, não é para tanto: o republicano tem mais de 19 milhões de seguidores e adora usar os 140 caracteres para fazer ou rebater críticas relacionadas a política e, claro, postar frases que agradem a cúpula republicana ou comentar amenidades. 

Apesar do grande número de seguidores, aparentemente a grande maioria dos cidadãos norte-americanos não aprova sua estadia na rede de microblogs. Segundo uma enquete recente da Universidade de Quinnipiac, 64% dos americanos que votaram na pesquisa acham que Trump deveria apenas deletar sua conta de uma vez. Aliás, os jovens americanos são os que menos apoiam o futuro presidente: 71% dos que têm entre 18 e 34 anos querem distância de seus tuítes. 

Vale dizer, no entanto, que apenas 899 pessoas de todo o país votaram na enquete, entre os dias 5 e 9 de janeiro. Mesmo assim, a percentagem de republicanos presentes nos votos ficou aquém do necessário (49%) para defender o próximo homem mais poderoso do mundo. 

Notícia falsa

De acordo com o que replicou o MSN de Portugal (via Dinheiro Vivo, também lusitano, que pelo visto já deletou a notícia), o Twitter vai fechar a conta de Donald Trump nas próximas 48 horas, devido a "retórica racista". Como não poderia deixar de ser, Trump já reagiu e chamou de "risível" o plano da rede social, aconselhando prudência aos responsáveis pelo Twitter. Até aqui, parece informação legítima, certo?

Mas o que o MSN não percebeu, no entanto, é que a fonte da notícia (cnn.com.de) se trata de um site falso, criado por Paul Horner, conhecido no Facebook por inventar notícias mentirosas e postá-las em sites aleatórios que imitam sites genuínos. O nome dele foi citado inclusive como "porta-voz do Twitter" na própria notícia falsa. Muita gente compartilhou o hoax nas redes sociais, inclusive aqui no Brasil. 

O hoax diz o seguinte: “O Twitter não irá tolerar utilizadores ativos cuja mensagem é de ódio, racismo e intolerância. Donald Trump poderá ter sido eleito para a Casa Branca, mas alguém tem de enfrentá-lo em nome do povo americano e dizer: ‘Não senhor Trump, não estamos contigo”, disse Paul Horner, porta-voz do Twitter aos jornalistas, citado pela Associated Press. 

Nada disso, no entanto, foi confirmado nem por Trump, nem pelo Twitter, e tudo não passa de uma enorme pegadinha que vem sendo espalhada, remetendo ao tópico sobre notícias falsas levantado pelo Facebook no fim do ano passado. O que ocorreu, pelo contrário, foi uma grande negativa do novo presidente, que tuitou há pouco mais de uma hora o seguinte, em repúdio às notícias falsas que se tornam virais:

Notícias falsas - uma completa caça às bruxas na política!

Via MashableMSN, CNN.de (hoax)

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar